Conheça o trabalho de Rodrigo Level, artista que mora em Floripa e tem painéis expostos nas ruas de Dubai e Chicago

Rodrigo Level – Foro Betina Humeres, NSC Comunicação

A calma está em traços definidos, nas cores e também na maneira do artista se expressar. Rodrigo Level, paulistano, reside em Florianópolis há seis anos. Vestindo preto, com os braços tatuados, a imagem contrasta com suas obras mais recentes — mas só à primeira vista. Em um olhar mais atento, percebe-se que os painéis e quadros têm relação com sua personalidade tranquila e também com sua história com o grafitti e a arte de rua.

Em mais de 20 anos de produção, os trabalhos do artista viajaram o mundo e, desde o início de novembro, dois de seus murais estampam as ruas de Dubai. Level saiu de Santa Catarina para participar da primeira edição do Blue Cave Urban Art Festival que ocorreu entre os dias 2 e 4 de novembro no Dubai Design District, distrito que reúne criativos do mundo todo na maior cidade dos Emirados Árabes. Na companhia de outros brasileiros, conviveu com os contrastes de um lugar onde a ostentação exposta pelos arranha-céus divide espaço com a rigidez das tradições religiosas. Foram três semanas de live-painting para colorir as laterais de dois prédios. O resultado são painéis de 15 metros de largura por 4,5 metros de altura.

— A arte de rua modifica o espaço, leva cor para uma cidade cinza. Acredito que há tanta poluição visual na cidade, meu trabalho busca desviar dessa sujeira — explica.

Inspirado pelos modernistas Alfredo Volpi e Cândido Portinari e pelos grafiteiros do bairro onde cresceu — a Vila Guilherme, zona norte de São Paulo —, Level desenvolveu uma identidade própria hoje definida em formas geométricas e no abstrato. Há alguns anos, porém, o preto predominava e os trabalhos traziam imagens figurativas. A fase atual, considera o artista, é uma evolução dessa fase e uma conexão com a sua história. (Veja mais trabalhos no instagram)

As cores, por exemplo, remetem às disponíveis em tinta spray no fim da década de 1990, época que grafitava. Na companhia de artistas como Zezão (José Augusto Amaro Capela), Level aprendeu a técnica e começou a desenvolver os primeiros trabalhos pelas ruas da capital paulista.

Painel em Dubai – Foto Divulgação

Definição

A mudança para Minas Gerais ainda na adolescência se mostrou essencial para a definição de seu estilo como artista. Level foi morar no sul do Estado, onde deixou as ruas por um tempo para criar em casa. Oito anos depois outra mudança também impactou em seu trabalho. Desta vez, morando em Brasília, o artista começou a produzir arte figurativa e em preto, um prenúncio do que viria em seguida e se consolidaria como seu estilo próprio. Para ele, as cores ampliam as possibilidades de expressão, por isso, não as deixou mais de lado.

Da primeira exposição em 2002 em Itajubá, no sul de Minas, Level já mostrou seus trabalhos em cidades do Brasil, como Brasília, Blumenau, Rio de Janeiro e Curitiba e de fora, como Portland, Nova Iorque e Chicago — nesta última, ele pintou dois murais em 2013 durante o South Shore Art Festival. Inquieto, agora tem entre os planos voltar para a rua.

— Gosto muito da rua, de interagir com as pessoas. Trabalhar e alguém vir me perguntar alguma coisa. Sinto falta disso — completa.

Exposição Atmosfera em Blumenau – Foto Arquivo Pessoal

Obra em Dubai – Foto Arquivo Pessoal

Exposições:

2017 – “BLUE CAVE URBAN ART FESTIVAL”
Dubai Design District – Dubai – Emirados Árabes

2017 – “PRIMÉRA”
S7 Coworking – Florianópolis – SC

2016 – “KROP X LEVEL”
GALERIA 351 – Curitiba – PR

2015 – ‘’Atmosfera’’
Projeto Atmosfera – Blumenau – SC

2013 – ‘’Moro na Rua Convida’’
Galeria HOmeGrown – Rio de Janeiro – RJ

2013 – ‘’Mostra Duna’’
Santa Catarina Moda Contemporânea – Florianópolis – SC

2013 – ‘’South Shore Art Festival’’
South Shore – Chicago – EUA

2013 – ‘’Equilíbrio’’
MaxwellColette Gallery – Chicago – EUA

2013 – ‘’Transitáveis’’
SESC Consolação – São Paulo – SP

2012 – ‘’Pindorama’’
Hellion Gallery – Portland – EUA

2012 – Mercado Arte Foto – Brasília – DF

2012 – ‘’Uma Cores’’
Galeria Casa ao Cubo – São Paulo – SP

2011 – ‘’Inversão’’
Galeria Casa Jaya – São Paulo – SP

2010 – ‘’CO-LE-TI-VA’’
Galeria Objeto Encontrado – Brasília – DF

2009 – ‘’Reciclando Cidades e Conceitos’’
Espaço Cultural Zumbi dos Palmares – Câm. dos Dep. Brasília – DF

2009 – ‘’Go Get Your Shinebox’’
Brooklynite Gallery – Nova Iorque – EUA

2008 – VII Edição Arte da Vila
Estúdio YA! Vila Madalena – São Paulo – SP

2008 – I Bienal Internacional de Graffiti de Belo Horizonte (BIG-BH)
Serraria Souza Pinto – Belo Horizonte – MG

2006 – ‘’Carta 1983’’
Espaço Cultural João Batista Brito – Itajubá – MG

Leia mais:
Artista catarinense faz residência artística e expõe obras inéditas em Salvador
Fotógrafo de SC mostra Europa com um novo olhar após percorrer países de bicicleta

Carol Passos
Editora assistente da Versar, borda, escreve e edita

Deixe seu comentário