Veja cinco dicas de como decorar as paredes com arte

Nesta parede, 10 obras foram organizadas em dois grupos de 5 quadros. Foto: Mariana Boro, Divulgação

Como já falei na última coluna (“Só a arte salva”), a arte traz um tipo de emoção ao projeto de interiores que nenhuma outra expressão da criação humana consegue repetir. Então, a presença da obra artística deve ser valorizada pelo espaço que a abrigará. Antes de tudo, vale sempre repetir: o quadro não precisa combinar com a almofada, ou com outras referências de cor ou estilo do ambiente. Isso não significa dizer, porém, que qualquer obra fica bem em qualquer lugar. O mais relevante é que a arte diga algo para e sobre você, que você a tenha como um elemento vívido e eloquente na sua casa. A arte vai bem além de suas qualidades decorativas. Dito isso, seguem algumas dicas pra que suas paredes recebam bem as criações inspiradas de tantos artistas de talento:

1. Composições de quadros

Meça a área que deseja ocupa e a reproduza no chão com fita crepe; faça várias composições e fotografe cada uma. depois escolha a que mais lhe agradar. Um truque para atingir um equilíbrio é posicionar peças mais escuras e maiores embaixo, e as menores e mais claros no alto, mas o que vale mesmo é experimentar.

Na foto acima, dez obras foram organizadas em dois grupos de cinco quadros, como se fossem duas setas apontando para lados opostos a partir de um eixo vertical centralizado com o sofá. à esquerda, a grande foto está apenas encostada na parede.

2. A altura de fixação

A posição da obra deve acompanhar a do foco da visão do observador médio. Claro, se houver um móvel mais alto, ela sobe, mas em geral o centro do quadro estará entre 1,50m a 1,60m do piso, desde que ela (a obra) não seja muito grande. Nunca alinhe o alto do quadro pela altura de portas e janelas. Na dúvida, é sempre melhor que a obra fique mais para baixo do que para cima.

Na sala de jantar, 4 obras dispostas duas a duas para criar um jogo de simetria nas paredes, estão posicionadas com seu centro a uma altura média de 1,60cm acima do piso. Foto: Rudi Razador, Divulgação

3. Distância entre as obras

Em paredes com mais de dois quadros, deixe um espaço livre de até 15cm, se forem onras maiores, e de até 8cm se forem pequenas. Um afastamento grande dificulta a visualização do conjunto. Esses espaços não precisam ser idênticos entre os quadros quando há vários de diferentes tamanhos e se a composição for assimétrica.

As quatro gravuras de mesmo tamanho foram instaladas a 15cm de distância uma da outra para garantir boa visualização individual e, ao mesmo tempo, formar um conjunto coeso na laga parede da cozinha gourmet. Foto: Marcelo Schmidt, Divulgação

4. Conjunto de quadros e objetos de parede

Não há muitas regras para dispor vários itens, tais como quadros, arandelas, esculturas, pratos, numa única parede. Vale atentar, entretanto, para a distribuição equilibrada de tamanhos, volumes e cores, de modo a que o conjunto fique leve e fluido. Não alinhe as peças, tanto no sentido horizontal quanto no vertical, aposte na assimetria.

Na parede do pub residencial, uma coleção de quadros, rótulos de cervejam placas e uma capeça de alce foram dispostos como se tivessem sido adicionados ao longo da história do cômodo, de modo descontraído. Foto: Marcelo Schmidt, Divulgação

5. Quadro pequeno em parede grande

Se você gostaria de fixar uma obra pequena numa parede grande, como a que fica atrás d um sofá ou cama, uma solução é posicioná-lo em relação a um dos limites laterais desse móvel, e criar um ponto de interesse visual com outros elementos, como mesa lateral, luminária, almofadas. Outra ideia é encostar o quadro na parede, apoiado sobre esta mesa lateral.

No quarto de casal com parede azul, o pequeno desenho ganhou a lateral da cabeceira, e juntamente com a mesa, o baú, a luminária preta e os livros forma um mini-cenário com volume em harmonia com a cama. Foto: Mariana Boro, Divulgação
Leia outras colunas de Sandro Clemes

Só a arte salva

Conheça a história por trás do conceito kitsch

Veja três exemplos de decoração baseadas na intuição sensível