Seu dinheiro não está rendendo? Especialistas contam onde e como investir em épocas de juros baixos

Uma pergunta paira na cabeça dos investidores: Quais aplicações são interessantes neste novo cenário de juros baixos?

Foto Divulgação

Os brasileiros têm notado que os lucros dos investimentos vêm sendo reduzidos drasticamente nos últimos tempos. Isto pode ser explicado pela sequência de quedas na taxa de juros – SELIC, que é a principal referência de remuneração para as aplicações financeiras no país.

Os cortes na SELIC começaram no final de 2016, quando a taxa básica de juros da economia brasileira era de 14,25% ao ano – a maior em 10 anos. Desde então, o Copom foi cortando os juros até chegar ao patamar de 6,5% que temos hoje.

O cenário atual reduziu os ganhos das aplicações e aumentou a pressão sobre os investidores para que diversifiquem suas carteiras. O brasileiro, acostumado a ganhar facilmente 1% ao mês na renda fixa, levou um susto com os seus rendimentos e agora passa por uma fase de amadurecimento. A poupança e o tradicional CDB dos grandes bancos já não ultrapassam 0,5% ao mês. É preciso cuidar melhor do seu patrimônio e buscar novas alternativas de investimentos.

Uma pergunta paira na cabeça dos investidores: “Quais aplicações são interessantes neste novo cenário de juros baixos? ”

O sócio da Manchester Investimentos Henrique Baggenstoss lista algumas aplicações a serem consideradas para o momento atual, seguidas de um breve resumo:

1) Títulos Públicos

Mesmo após a queda de juros, ainda é possível achar boas oportunidades em títulos públicos, considerado um dos investimentos mais seguros do país. Este tipo de aplicação possui liquidez diária, e no momento da contratação já é possível saber seu rendimento, que varia conforme o vencimento.

Atualmente ainda é possível encontrar opções com rendimento pré-fixado, pagando mais de 11% ao ano. Outra alternativa é ter uma parte dos investimentos em títulos indexados à inflação, com rendimento na casa de IPCA (inflação) + 5,5% ao ano. Neste caso, o investidor já estabelece seu ganho real, podendo garanti-lo por muitos anos.

Importante ressaltar que para ganhar exatamente o rendimento contratado, o investidor deve carregar sua aplicação até o vencimento do título.

2) Fundos Multimercados

Os fundos multimercados são a opção para o investidor que, na busca por melhores retornos, está disposto a aceitar um pouco de volatilidade na sua carteira, mas que não tem interesse, tempo ou conhecimento suficientes para investir por conta própria. Assim, o investidor delega a responsabilidade a um gestor profissional, que usará sua experiência e a engenharia financeira para buscar o melhor retorno possível dentro da estratégia ativa que o fundo se propõe a seguir. Existem diversos fundos com rendimento de mais de 150% CDI nos últimos 12 meses. O recomendável é buscar a diversificação em produtos com estratégias complementares, e que apresentem boa performance histórica, equipe de gestão reconhecida, e transparência na estratégia a ser adotada.

3) COE

O COE – Certificado de Operações Estruturadas – é um tipo de investimento que combina elementos de Renda Fixa e Renda Variável, com retornos atrelados a ativos e índices, como câmbio, inflação, ações e ativos internacionais. É interessante buscar COE com capital protegido, onde não existe o risco de ter prejuízo. Nesta modalidade, o investidor pode buscar um rendimento mais elevado sem chance de perder dinheiro.

Time de profissionais especializados. Foto divulgação

Orientação especializada

Dentre tantas alternativas existentes no mercado financeiro é fundamental que as pessoas busquem conhecimento e ajuda especializada.

– Meu dia a dia é muito corrido e sempre tive pouco tempo para cuidar dos investimentos. Mas encontrei uma empresa transparente e segura para me ajudar a cuidar das minhas aplicações. Consegui aumentar meu rendimento sem assumir mais riscos. Tudo isso porque tive acesso a uma equipe capacitada que me mostrou alternativas mais rentáveis. Fiquei muito contente com os resultados e principalmente com o acompanhamento dado ao meu portfólio, com contato muito frequente – contou o diretor da Embraer, Rodrigo Vasconcellos.

Diante do cenário, o auxílio de um profissional é essencial na construção e na configuração mais assertiva para um portfólio de investimentos. Para isso, além de interpretar o contexto econômico é importante identificar três informações fundamentais junto ao cliente: prazo disponível para utilização dos recursos, o objetivo, e o perfil de investidor. Estes dados são vitais para que se construa um balanceamento adequado, definindo o percentual a ser alocado em cada modalidade.

A busca pelo melhor retorno

Sócio da empresa, Luis Leci acredita que a maior procura por investimentos ainda vem do cliente conservador, que não gosta de correr riscos e busca uma remuneração superior à oferecida atualmente pelos bancos. Ainda assim, com os juros baixos, ele enxerga uma ligeira mudança no cenário.

– Percebo uma grande procura por investimentos alternativos, que têm como objetivo melhores retornos. Existe uma busca por produtos mais sofisticados como fundos multimercado, fundos internacionais, papéis de renda fixa sem incidência de imposto de renda (LCIs, LCAs, CRIs, CRAs, Debêntures Incentivadas), fundos imobiliários, tesouro direto, dentre tantos outros. Nosso trabalho é justamente identificar estas oportunidades e avaliar se são adequadas e interessantes para o portfólio das pessoas – revela.

Com 95% dos brasileiros ainda investindo hoje através dos bancos onde tem conta, e em produtos pouco rentáveis, como poupança, CDBs e previdência de baixo rendimento, Eduardo Pereira, assessor de investimentos, alerta sobre a importância de contar com uma assessoria especializada.

– Temos um mercado extremamente concentrado, e limitado a dois grandes bancos públicos e três privados. Quando se comparam tarifas, produtos e rentabilidades, é tudo muito similar. Mas não é porque temos uma conta em determinado local que lá é o mais indicado para aplicar o dinheiro – esclarece.

Os sócios-majoritários da empresa. Foto divulgação

A empresa

De maior corretora de ações de Santa Catarina para uma assessoria de investimentos completa, a Manchester atinge a marca de dois bilhões de reais sob custódia, em uma trajetória de mercado que completa 50 anos.

Atualmente a empresa é composta por 35 assessores de investimentos e possui escritório em quatro cidades: Joinville, Florianópolis, Blumenau e Curitiba.

Produtos oferecidos pela Manchester

  • RENDA FIXA: CDB, LCI, LCA, Debêntures, Letras Financeiras, CRIs, CRAs.
  • FUNDOS DE INVESTIMENTO: mais de quatrocentos fundos de Renda Fixa, Multimercados, Internacionais, Ações, Dólar, dentre outras estratégias.
  • PREVIDÊNCIA: a mais completa grade de fundos de previdência do Brasil, com cinquenta opções de PGBL e VGBL para o cliente contratar um plano ou fazer a portabilidade dos bancos, sem cobrança de taxa de carregamento.
  • RENDA VARIÁVEL: Bolsa de Valores, Fundos Imobiliários, Bolsa de Mercadorias e Futuros, Produtos Estruturados.
  • ALOCAÇÃO INTERNACIONAL: Clientes que investem no USA e Europa.
  • CÂMBIO: Remessas internacionais, hedge para importação e exportação.
  • PROTEÇÃO PATRIMONIAL E SUCESSÃO: produtos das maiores seguradoras do mundo: Prudential e Mongeral, e parceria com escritórios de advocacia para blindagem patrimonial, planejamento sucessório, criação de holdings, etc.

Mais informações: www.manchesterinvest.com.br