Joalheria apresenta coleção inspirada no Renascimento

A joalheria dinamarquesa Pandora resgata a essência do Renascimento – período histórico conhecido pela quebra de padrões socioculturais – para dar forma à coleção Contos Reais

Pandora
Fotos: Pandora/Divulgação

As joias sempre despertaram verdadeiro fascínio nas pessoas. Há milhares de anos,
faraós e rainhas já usavam dos adornos como símbolo de poder e beleza. Aperfeiçoadas desde então, as peças passaram a ser produzidas por profissionais da ourivesaria a partir de metais valiosos. Por meio de fundição, estamparia, usinagem e mesmo manualmente, as composições ganham prestígio com acréscimo de pedras preciosas. A marca dinamarquesa Pandora, fundada em 1982 em Copenhague, desenha, fabrica e vende joias finalizadas à mão.

Leia também:

Acessórios: a vida contada em berloques e pingentes

Blumenau recebe a segunda edição do Confraria da Moda 2018

Inspirados no encontro entre o antigo e o contemporâneo, e na estética marcante do século XIV, a dupla de diretores criativos da Pandora, Francesco Terzo e Fillipo Ficcarelli, se inspirou em elementos visuais da Renascença junto das expressões atuais de estilo para criar a nova coleção. Ela aposta no esplendor da realeza e experimenta novas técnicas manuais para reproduzir padrões heráldicos e ornamentações opulentas nas joias, oferecendo um perfume desse período.


Chaves e fechaduras são símbolos de liberdade, conhecimento e poder, e aparecem em charms e colares. A coleção também tem fortes referências à natureza: o trigo, que simboliza a prosperidade, é traduzido em designs de traços orgânicos, como o Anel Aberto da Prosperidade e o Brinco da Prosperidade. A coleção Contos Reais apresenta símbolos que refletem a beleza do passado e a história do presente, marcando o início de uma nova era com joias nos metais PANDORA ShineTM, PANDORA ROSETM e prata de lei. A linha completa já está nas lojas físicas e e-commerce da marca.

Clique aqui para saber tudo sobre o Confraria da Moda