Jorja Smith é a dica musical da semana

Nady Petit e Diegão Califa são os novos colunistas da Versar

Jorja Smith
Jorja Smith (Foto: Divulgação)

Os primeiros 10 segundos de Blue Lights foram suficientes para eu passar a amar o trabalho de Jorja Smith – agradeço ao Buena Onda por isso. Diariamente, junto com o Diegão, faço pesquisas de lançamentos e destaques no Spotify para adicionar à playlist do programa que colocamos no ar, de segunda a sexta, a partir das 17h, na Rede Atlântida em Santa Catarina. Enquanto aos sábados, a partir das 20h, vai ao ar uma seleção caprichada com os destaques que tocamos na semana.

Durante essa busca, de largada o som de Jorja me chamou muito a atenção. Acho que foi a mistura da pegada do R&B com toda sensualidade particular na voz dela. É aquela música que te abraça e faz você querer cantar, mesmo sem saber a letra na primeira vez em que escuta.

Ouça a playlist de Jorja Smith aqui

Jorja cresceu no meio musical. O pai era da música, tinha uma banda chamada Second Naicha, e ela o acompanhava. Com 8 anos de idade ela já tocava piano – enquanto nessa idade eu nem andar de bicicleta sem rodinhas sabia. Aos 11 anos escreveu sua primeira música, Life A Path Worth Taking, e depois de colocar no Youtube cover de músicas famosas, aos 15 anos, foi encontrada por um empresário.

Mas foi 2018 que fez a cantora deixar o trabalho de barista da Starbucks para focar no álbum Lost & Found, lançado em junho deste ano, e sua primeira turnê completa nos EUA, passando pelo Coachella, um dos festivais mais importantes para os amantes da música alternativa e das blogueiras que querem atualizar o feed do Instagram com fotos estilo tumblr.

Jorja também é uma das atrações confirmadas na próxima edição Lollapalooza, que acontece de 5 a 7 de abril em São Paulo (gritos histéricos de felicidade, porém seguidos de tristeza após descobrir o valor dos ingressos).

Enquanto o festival não chega, dá tempo de conhecer o trabalho da musa. Ouso ainda dizer que se você curte a levada Lauryn Hill, o álbum Lost & Found é um prato cheio. Experimente a minha favorita, Blue Lights, e como sobremesa On Your Own. É pra se deliciar, mesmo.

Espero que Jorja também consiga encantar você. E se o olho não brilhar agora, não tem problema. Estaremos toda semana compartilhando experiências musicais aqui na Versar. Não vai faltar oportunidade pra você renovar sua playlist. Até!