Kim Kardashian não descarta entrar para a política

Em entrevista, a empresária americana falou sobre a ajuda a Alice Marie Johnson, condenada a prisão perpétua por tráfico de drogas

Foto: Reprodução/Instagram

No fim de maio, Kim Kardashian se reuniu com o presidente americano Donald Trump na Casa Branca para pedir a libertação de uma mulher condenada à prisão perpétua por tráfico de drogas. A reunião deu resultado – Alice Marie Johnson, uma mulher de 62 anos que esteve presa durante mais de duas décadas por um crime não violento relacionado com tráfico de drogas, acabou sendo libertada na primeira semana de junho. Agora, durante entrevista à CNN, a empresária e socialite foi questionada se tem interesse em se candidatar para algum cargo público. A resposta? “Nunca diga nunca”.

— Acho que… nunca diga nunca. Mas não vai ser tipo, Kim se candidata. Não é onde eu estou. Quero ajudar uma pessoa de cada vez — disse Kim a Van Jones.

Kim decidiu ajudar Alice Marie depois de assistir a um vídeo que circulava nas redes sociais. Ela então chamou o próprio advogado para o caso, pagou pela defesa da detenta e vem apoiando uma campanha pela reforma no sistema penitenciário dos EUA.

— Senti que ela é uma boa pessoa. Você pode ver isso nela. Que ela perdeu o emprego que tinha há anos, se divorciou, seu filho morreu, e eu sei que eu faria qualquer coisa pelos meus filhos, então eu senti essa conexão com ela. Então instantaneamente eu quis ajudá-la — disse Kim, explicando a razão pela qual decidiu ajudar Alice Marie.

Ainda segundo Kim, apesar da mulher ter sido libertada dias após sua visita a Donald Trump, ela vinha trabalhando por isso há sete meses e ligava diariamente para a Casa Branca para falar sobre o assunto.

Leia mais:

Kim Kardashian faz reunião com Donald Trump na Casa Branca

Khloé Kardashian perdoa namorado por traição após dar a luz