Lago di Como e Lago di Garda: conhecemos os dois lagos mais famosos da Itália

Antes de chegarmos até a famosa região de Valpolicella, onde iremos comentar sobre os aclamados amarones, considerados por muitos, inclusive por nós, os melhores vinhos italianos, visitamos dois lugares onde os próprios italianos tiram férias, Lago di Como e Lago di Garda.

Lago di Como fica na região de Lombardia, onde a paisagem e a ótima gastronomia atraem celebridades, como George Clooney, que possui casa.

O melhor lugar para se hospedar e para começar o passeio é a cidade de Como, que fica na extremidade Sul do lago.

O serviço de ferry funciona muito bem e pode se acessado por AQUI. Barcos rápidos (45 minutos) ou passeios mais lentos (2 horas), que passam por varias vilas, levam você a famosa Bellagio.

Após caminhar e tomar um drink em Bellagio, a dica é passar em Varenna (20 minutos de ferry), tomar um café por lá e retornar a Bellagio, de onde o barco retorna a Como.

Em Como, é possível encontrarmos ótima gastronomia, e se caso for a época, você pode provar as famosas trufas, sejam elas brancas ou negras, que agregam valor e uma camada extra de sabor aos seus pratos.

Seguimos viagem ao Lake Garda, onde as cidades de Sirmione e Bardolino são as atrações principais, com lojas de produtos italianos que apresentam ótimos preços.

Nas cidadezinhas ao redor do Lago, é comum servirem aperitivos gratuitos a cada bebida ordenada.

Em Bardolino está o que procurávamos: vinho!

Em Veneto é impossível não comentarmos de Prosecco, Valpolicella e Amarone, porém, existe um vinho considerado uma versão menos cara e mais leve que estes dois astros, estamos falando de Bardolino DOC. As três principais uvas utilizadas para produzir os vinhos Bardolino são rondinella, corvina e molinara. É um vinho que custa entre 3 a 12 Euros, e por isso é considerado o vinho do dia a dia para os italianos.

Visitamos a vinícola Guerrieri Rizzardi, uma das mais famosas da região, para entender melhor sobre este vinho tão popular na Itália e inclusive na Alemanha.

Apesar de ter as mesmas uvas em sua composição, é uma versão bem mais leve que os Valpolicella, lembrando os Beaujolais Nouveau, por sua leveza, cor clara, baixo tanino e boa acidez.

Dentro da denominação dos vinhos Bardolino, temos o Bardolino Clássico e Bardolino Superiores como sendo os predominantes. Para ser um Bardolino Superior é preciso 1% extra de álcool em relação ao Clássico, além de passar um ano em guarda antes de ser lançado ao mercado.

Se você gostar de Rosé, não deixe de provar o Chiaretto, uma versão Rosé de Bardolino seco, que vem ganhando popularidade na Itália.

Para fechar nossa trip, nada como levar umas pizzas ao Hotel e passar na loja de vinho para comprar o melhor Bardolino disponível, por 12.90.

Itália é um lugar que por mais que você visite, parece que sempre falta algo para conhecer. Então por que não colocar Lago di Garda e Lago di Como em seu próximo roteiro?

Salud!

Leia mais:

Conheça os vinhos da Austria em uma visita a Innsbruck, o coração dos Alpes

Oktoberfest: conhecemos a mundialmente famosa festa de Munich, na Alemanha

Uma garrafa de champagne pode estourar durante um voo de avião?

Gin: ensinamos 3 cocktails com a bebida a base de zimbro