Marca catarinense é acusada de fazer apologia ao nazismo

Vídeo publicado no Facebook da marca trazia peças estampadas com a Cruz de Ferro. Foto: Reprodução

*Matéria atualizada às 20h com comunicado enviado pela marca.

A Lança Perfume, marca de roupas femininas de Criciúma, foi acusada de fazer apologia ao nazismo na nova coleção de inverno. A polêmica começou na fan page da grife após a divulgação de um vídeo que mostrava algumas peças da coleção, cujo tema principal é “Uma Noite em Berlim”. No vídeo, publicado no dia 10 de abril, modelos aparecem com roupas inspiradas no militarismo e estampadas com a Cruz de Ferro, uma condecoração militar alemã. Internautas acusaram a marca de fazer apologia ao nazismo ao usar um símbolo que faz alusão ao regime. Em nota, a empresa nega e diz que repudia o nazismo e fascismo em todas suas dimensões.

Vídeo publicado nas redes sociais gerou polêmica. Foto: Reprodução

A marca, que ainda foi criticada por usar apenas modelos brancas e loiras na campanha, chegou a se explicar nos comentários do vídeo antes de divulgar uma nota de esclarecimento oficial na fan page:

A Lança Perfume alegou que a Cruz de Ferro é apenas um dos elementos utilizados na coleção inspirada em Berlim, e que o símbolo não é um elemento nazista por ter sido criado pelo Rei da Prússia ainda no século XVIII, e que só posteriormente foi adotado pelo exército alemão. A justificativa não convenceu os internautas. A maioria dos comentários na rede social alega que, mesmo que a Cruz de Ferro não seja um símbolo criado pelos nazistas, é prontamente associado ao regime. Desenhada pelo arquiteto e pintor alemão Karl Friedrich Schinkel em 1813, a Cruz de Ferro era entregue aos militares com uma suástica no meio durante a Segunda Guerra Mundial.

Na tarde de quarta-feira (18), a marca publicou uma nota de esclarecimento na qual defende, novamente, que a Cruz de Ferro não se trata de um símbolo nazista. A marca ainda diz que lamenta as acusações realizadas com base em desconhecimento, desinformação e preconceito, e que repudia o nazismo e fascismo em todas suas dimensões.

Esclarecimento publicado na fan page da marca. Foto: Reprodução

Ainda assim, os comentários publicados na página continuam negativos. “A suástica também não se trata de um símbolo nazista mas foi apropriada para tal. Parem de querer justificar o injustificável!”, publicou um usuário. Outro comentou: “Não adianta dizer que ‘não significa tal coisa’ quando os nazistas se apropriaram de tal símbolo e a primeira coisa que remete é o nazismo. Vocês não entendem nem de história e nem de comunicação, pelo visto”.

Contraponto

“Diante das manifestações negativas relacionadas à cápsula LAB Collection da coleção de Inverno 2018 da Lança Perfume – Uma Noite em Berlim -, a marca comunica oficialmente a exclusão dos conteúdos divulgados, bem como dá início à retirada das peças em questão de circulação de seus canais de venda.
A marca reforça, mais uma vez, que não houve intenção de agredir ou apoiar qualquer movimento repressor ou radical. A associação negativa e o sentimento gerado, porém, são suficientes para que a Lança Perfume opte por dar início a tais procedimentos, em respeito aos seguidores, consumidores e público em geral que, de alguma forma, se sentiram ofendidos com a abordagem do tema. A Lança Perfume lamenta o ocorrido e enfatiza seu repúdio a qualquer movimento de natureza fascista.”

Uma das peças da coleção gerou revolta ao lembrar o uniforme dos militares nazistas. Foto: Reprodução

 

Leia mais:

Caderno Nós: Nazismo em SC: Investigação aperta cerco a extremistas

Ensaio de festa de 15 anos com tema relacionado à escravidão gera revolta nas redes sociais