Leia mulheres: confira 12 obras literárias de autoras brasileiras e estrangeiras

Foto: Charles Guerra

Escritoras brasileiras e estrangeiras ainda são minoria no mercado editorial. Normalmente, as obras são vistas como “literatura para mulheres”, uma analogia de gênero que ainda segrega os leitores. Em 2014, surge movimentos de incentivo e afirmação feminina, como o projeto #readwomen (#leiamulheres), lançado pela escritora Joanna Walsh.

No Brasil, o projeto se tornou um clube que promove encontros mensais ao redor do país para a discussão de obras de escritoras. Em homenagem às mulheres que escrevem com amor e coragem, reunimos em uma lista, obras atuais escritas por mulheres. Afinal, quanto mais escritoras lidas, mais serão premiadas ou indicadas. Confira e boa leitura!

Thalita Coelho

Foto: Leo Munhoz / Revista Versar

Terra Molhada, Ed. Patuá.
Catarinense de Itajaí, a autora preenche a lacuna da representação lésbica na literatura.
A coletânea de poemas celebra o amor entre mulheres e, como a própria autora diz, é sobre
resistência. Thalita bateu um papo com a colunista Yasmine Holanda, recentemente.

Maria Valéria Rezende

Divulgação / Reprodução

Outros Cantos, Ed. Alfaguara.
Maria Rezende, 75 anos, é freira missionária e ganhou o Prêmio Casa das Américas 2016 com o livro. O seu romnce Quarenta Dias recebeu o Prêmio Jabuti em 2015. A escritora que começou a escrever aos 60 anos, trabalha em seu quarto romance, Carta à Rainha Louca.

Ana Miranda

Foto: Divulgação

Dias & Dias, Ed. Cia das Letras.
Cearense, a escritora coleciona prêmios literários na carreira. O livro ganhou Prêmio Jabuti na categoria romance e Prêmio da Academia Brasileira de Letras.

Angélica Freitas

Foto: Divulgação

Um Útero É do Tamanho de Um Punho, Ed. Cosac Naify.
Gaúcha e poeta, o livro se tornou um clássico contemporâneo sobre questões de gênero. Seu livro Rilke Shake, lançado em 2007, ganhou o prêmio Best Translated Book Award, da Universidade de Rochester, nos EUA.

Conceição Evaristo

Foto: Divulgação

Olhos d’Água, Ed. Pallas.
Mineira e militante do movimento negro, a escritora publicou pela primeira vez aos 44 anos. O livro ganhou o Prêmio Jabuti em 2015.

Eliane Brum

Foto: Bruno Alencastro / Agência RBS

Meus Desacontecimentos, Ed. Leya.
Jornalista, escritora e documentarista. O livro percorre a infância da autora para compreender como a palavra entra em sua vida e como a escrita transforma vidas.

Daniela Arbex

Foto: Charles Guerra

Holocausto Brasileiro, Ed. Geração.
Considerada uma das melhores jornalistas brasileiras. Já recebeu três Prêmios Esso, o americano Knight International Journalism Award (2010) e o prêmio IPYS de Melhor Investigação Jornalística da América Latina.

Fernanda Torres

Foto: Bob Wolfenson

A Glória e seu Cortejo de Horrores, Ed. Cia das Letras.
Terceiro livro da atriz, a obra recém-lançada narra uma história que tem como pano de fundo o universo do teatro.

Ryane Leão

Foto: Arquivo Pessoal

Tudo Nela Brilha e Queima, Ed. Planeta.
Professora e escritora, é dona do perfil que faz sucesso no Instagram – @ondejazzmeucoracao. O livro de poesia é o primeiro a ser lançado por ela, aos 28 anos.

Svetlana Alexijevich

Foto: Kay Nietfeld / DPA

A Guerra Não Tem Rosto de Mulher, Ed. Cia das Letras.
Primeira bielorrussa a receber o Prêmio Nobel 2015, a autora reconstrói conflitos da 2ª Guerra Mundial a partir da perspectiva das combatentes soviéticas – mais de 1 milhão no Exército Vermelho.

Chimamanda Adichie

Foto: Divulgação

Americanah, Ed. Cia das Letras.
Nigeriana, ativista e feminista, a autora conta uma história de amor implacável que trata de questões de raça, de gênero e de identidade.

Elena Ferrante

Foto: Reprodução

Tetralogia Napolitana, Ed. Biblioteca Azul.
Pseudônimo de uma escritora italiana, os quatro livros da autora são um relato pungente sobre o machismo.

Leia mais

Conheça a história de cinco mulheres em Santa Catarina que aplicam a sororidade no dia a dia

Frida Kahlo e mais: Barbie lança coleção de bonecas em homenagem ao Dia da Mulher