Letícia Birkheuer curte férias em Santa Catarina e fala sobre maternidade e chegada dos 40 anos

Prestes a fazer 41 anos, atriz e ex-modelo fala sobre a relação com o corpo, carreira e o novo amor

leticia birkheuer
Foto Darline Santos/Divulgação Il Campanario

Ela foi considerada uma das dez modelos mais importantes do planeta! Morou em vários países, assinou contratos milionários, desfilou para grandes estilistas e voltou ao Brasil como atriz em papeis de destaque na televisão. Um turbilhão de acontecimentos para a menina descoberta com apenas 16 anos enquanto jogava vôlei em Passo Fundo, no Rio Grande do Sul.

A rápida retrospectiva nos ajuda a entender como Letícia Birkheuer se transformou nessa mulher linda, madura e segura de si. Aos 40 anos ela curte o momento mãe, está apaixonada e cheia de planos profissionais. Com uma relação próxima com Santa Catarina, onde passou boa parte das férias na infância, ela fugiu para uns dias de descanso no Il Campanario Villaggio Resort, em Jurerê Internacional. Veio com o filho de sete anos e o novo namorado — e abriu uma brechinha na agenda para conversar com a Versar.

Qual a sua relação com Santa Catarina e o que gosta de fazer quando está por aqui?
A minha família é de Passo Fundo, Rio Grande do Sul, e a minha mãe tinha uma casa em Balneário Camboriú. Minha infância e adolescência foram em Balneário, sempre passei três meses das férias lá, também sempre frequentei Florianópolis e toda a região aqui.

leticia birkeuer
Letícia aproveitou a vinda a Florianópolis para comemorar o aniversário do amigo Jamil Nicolau
Foto: Darline Santos/Divulgação Il Campanario

De que forma a maternidade mudou a sua vida?
A maternidade muda completamente a vida de uma mulher. Eu acho que é quando a gente realmente conhece o maior amor que existe, o amor incondicional. Eu me tornei uma pessoa mais calma, menos ansiosa e, por outro lado, muito mais preocupada com a minha saúde, minha vida, minhas atitudes, porque tudo influencia na vida do meu filho. Eu percebo que mudei até o modo como falo dentro de casa, aprendi a me policiar, a falar mais baixo, a pensar no que vou responder, até porque estamos o tempo todo educando e os filhos prestam atenção em tudo o que a gente fala. Também estou me cuidando mais, não viajo de carro à noite, não faço nada que possa colocar em risco a minha vida e a dele. Hoje só atravesso na faixa de segurança, que era coisa que eu não fazia antigamente, então a gente muda completamente.

Recentemente você mobilizou as redes sociais ao falar das transformações no seu corpo. Como aprendeu a lidar com essas mudanças?
O corpo da mulher muda com a maternidade e também à medida que os anos vão passando. Com a chegada dos 40 anos tudo o que a gente faz tem que fazer em dobro para ter resultado, do exercício físico aos cuidados com a alimentação. Temos que aprender também a aceitar esse novo corpo, é óbvio que eu não vou ter o corpo de uma menina de 16 anos, a mesma pele, a mesma textura, mas eu procuro estar saudável e deixar o corpo bonito é uma consequência. Acho que a gente fica menos vaidosa e menos exigente com a gente mesmo, esse é o caminho.

O que a Letícia mãe gosta de fazer com o João Guilherme?
Eu adoro fazer programas ao ar livre com ele, tipo andar de bicicleta, na praia, na Lagoa, gosto de jogar tênis no clube, agora ele entrou na escolinha de vôlei, também gosta muito de teatro e vou matriculá-lo numa escola.  Eu sempre fui muito esportista e eu gosto de incentivar o João a fazer esporte.

Como é a sua rotina de mulher moderna que se vira para dar conta de casa, trabalho, filho, namorado?
Sou uma pessoa que tenho bastante energia, não gosto de ficar parada. No final do ano eu quebrei o meu pé num espetáculo e estou tendo que me forçar a ficar em casa, sem poder fazer esportes, e isso está me deixando maluca porque eu sou muito ativa. Na minha rotina normal acordo 6:30, levo o cachorro para passear, depois pego a bicicleta e vou para a praia jogar duas horas de vôlei de praia, em seguida volto para casa, levo meu filho na natação, depois mando ele para a escola e deixo a tarde para resolver coisas de trabalho. No final do dia eu treino crossfit e à noite vejo um filme com meu filho, janto com ele, e vou dormir por volta das 22:30, 23h. Os esportes eu faço três vezes por semana e ainda gosto de correr na praia. Como meu namorado também treina crossfit a gente acaba se encontrando durante a semana e no fim de semana ficamos mais junto, então consigo dar conta de bastante coisa.

A chegada aos 40 anos te assustou de alguma forma? Quais seus cuidados com a saúde?
Eu já vou fazer 41 agora em abril e não me assustou não, sabia? Porque eu acho que aquela ansiedade de ter que ter filho antes dos 40, toda essa ansiedade do final dos 30 anos eu não tive, então a chegada aos 40 foi uma coisa normal. Talvez também porque não pareço a minha idade, as pessoas acham que eu tenho 32, 30, quando falo que tenho 40 todos se assustam. Tenho uma alimentação equilibrada, gosto muito de salada, moro no Rio de Janeiro que é uma cidade quente então não sou de comer comidas pesadas, não como muito carboidrato, minha alimentação é rica em frutas, verduras, legumes e pratico muito exercício físico. Claro que também não deixo de tomar sorvete, comer meu docinho, tomar meu vinho, acho que meu metabolismo é bom mesmo.

leticia birkheuer
Foto Darline Santos/Divulgação Il Campanario

Você começou a trabalhar muito nova como modelo. Se arrepende de alguma coisa?
Comecei muito cedo e não me arrependo de nada. Tudo aconteceu ao seu tempo. Eu obtive um sucesso na carreira que poucas modelos alcançaram. Em 2004 fui considerada uma das dez melhores modelos do mundo, morei anos fora, aprendi vários idiomas, foram anos maravilhosos da minha vida, inclusive tenho saudade às vezes.

Você está longe da TV desde 2015. Sente saudade?
Meu último trabalho foi em Malhação que terminou em 2016, a partir daí fui fazer teatro, percorri várias regiões do Brasil e foi muito bom. Acho que foi um aprendizado muito grande, eu me desenvolvi como atriz, ganhei meu primeiro prêmio de melhor atriz, o prêmio Nelson Rodrigues pela minha atuação interpretando um homem, e fiquei muito feliz com tudo. Acho que a gente exercita muito no teatro, coisa que na televisão às vezes a gente não consegue porque é tudo muito rápido, tem que gravar, vai ao ar já no dia seguinte, é tudo mais corrido, não dá tempo de preparar tanto uma cena. Mas eu tenho vontade sim de voltar para televisão, estou esperando a resposta de uns testes que fiz e tem milhões de produções sendo feitas em outras áreas, como séries, Netflix, HBO, enfim, tem muita coisa bacana sendo produzida no Brasil, acho que hoje tem muita opção e isso é muito legal. Além disso, eu também tenho um longa, que escrevi com dois roteiristas amigos meus, que estou levando para produtoras para começar a produzir esse ano e também um programa novo na TV fechada com uma versão para o Youtube.

Você revelou em entrevista no ano passado que queria um amor. Deu certo! Como é estar apaixonada?
Eu estava há uns dois anos solteira, acho que é muito bom essa sensação de ter uma pessoas que você gosta, que cuida de você, que tem uma energia parecida e é muito difícil encontrar né? Tem muito casal brigando e se desentendendo, ainda mais nos dias de hoje com essa coisa da internet, de desconfiança, facilidade de encontrar qualquer pessoa, todo mundo tem acesso a tudo e a todo mundo, então você conseguir ter um relacionamento de confiança, de carinho, de amor, de afeto, de respeito nos dias de hoje, é muito, muito, muito maravilhoso, e é uma coisa até bem rara eu diria.

Leia também:

Conheça a catarinense que virou expert em casamentos para brasileiros na Europa

Natural do Oeste de SC, Aline Weber é uma das modelos brasileiras mais conhecidas fora do país

Estaleiro catarinense constrói megaiate adaptado para pessoas com necessidades especiais