Loco por Vino: você sabia que a Turquia é o berço dos vinhos?

Foto: Loco Por Vino, Arquivo pessoal
Neste post vamos contar um pouco sobre as paisagens, comidas e é claro, os vinhos deste lindo e histórico país.

Saímos de Santorini e pegamos um Ferry para a ilha grega de Kos. Em 30 minutos já pulamos para outro barco até a cidade de Bodrum, na Turkia, e finalmente outro até a península de Datça.

Existe a lenda de que não bebem no país, que odeiam tatuagem, barba, etc.. Então é claro que chegamos analisando tudo ao redor, sentindo como se estivéssemos caindo de pára-quedas no meio de um campo de batalha… Porém percebe-se que, principalmente nos lugares turísticos, todos estão muito felizes, receptivos, de barba, tomando uma cervejinha e alguns com tatuagens… Bem-vindo a Turkia!

Chegamos na península de Datça, na maior vinícola da região, chamada Datçawinery.

Picture

Datça fica em uma península no Sudoeste da Turkia, cercada de praias em uma linda costa. A tempos foi considerada o lugar de mais difícil acesso do país e por isso ainda tem ares de uma vila de pescadores, apesar do turismo em expansão.

Locais acreditavam que o próprio Zeus teria criado Datça e mandado as melhores criaturas para viver no local, devido à beleza da região. Datça também é famosa por dividir geograficamente o mar mediterrâneo do mar Egeu.

Fomos recepcionados no píer e fomos direto para a vinícola, que paraíso!

A 15 minutos de caminhada da praia, de frente para as ilhas gregas, está a nossa casa que fica no meio dos vinhedos e cercada por oliveiras.

Ficamos em duas casas containers, sendo em uma o quarto e banheiro e na outra a cozinha e lavanderia, só pra nós! Nos sentimos em uma casa de praia, parece férias!

Picture

Como já falamos, Workaway é um programa onde você recebe casa e comida, te ensinam sobre a área escolhida e em troca você trabalha 25 horas por semana.

Picture

Mas vamos falar dos vinhos!

A Turquia é o quarto maior produtor mundial de uvas. Existem aproximadamente 600 a 1200 variedades de indígenas vitis vinifera, porém apenas 60 tipos são comercializados.

As uvas indígenas mais comuns nos vinhos são:

Yapincak e Papazkarasi, da região de Thrace
Sultaniye de Aegean Coast
Okuzgozu (conhecida como “garganta queimando”, por seus taninos), BogazkereKalecik Karasi, Narince e Emri de Anatolia (Note que a Narince, uma variedade branca, é considerada a rainha de Anatolia)

O famoso Buzbag é um vinho tinto, com muito tanino, feito com a uva Bogazkere. Historicamente, a região onde Buzbag é produzido, Mt. Ararat, é apontada como a área onde o vinho nasceu. Justamente pela crença de que Noé plantou vinhedos ao redor de onde a arca ancorou, que acredita-se ser no Mt. Ararat.
Você ainda pode provar um Buzbag, fabricado neste local pela empresa estatal Tekel.

Picture

A vinícola que trabalhamos oferece 9 tipos de vinhos:

Syrah, Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Merlot, Rosé, 3 blends destas uvas e o destaque da casa, um Blend com as variedades locais Okuzgozu e Bogazkere.

Okuzgozu é uma variedade furtada que se complementa com a full-bodied e picante Bogazkere.

Os brancos não passam pela fermentação malolática, devido à baixa acidez das uvas. A baixa acidez é considerada um problema, pois pode deixar muitos vinhos “sem alma”.

O rosé, que é feito com a Okuzgozu, foi o nosso preferido. Um vinho bem balanceado, frutado e refrescante.

Na Turquia, trabalhamos rotulando as garrafas manualmente, engarrafando os vinhos, na colheita, prensagem das uvas, nas adegas, ajudando clientes e participando de processos importantes, como conferir a acidez dos frutos e a checagem de açúcar das uvas, que vai dizer o potencial de álcool previsto.

No nosso tempo livre exploramos a área, que é fantástica. Visitamos as duas pontas da península, da cidade histórica de Knidos até a famosa Marmaris.

Marmaris é um mix de 25 de Março, com Miami e Angra dos Reis, não dá vontade de ir embora! Bares, lojas, esportes aquáticos, tours de barco, tem para todos os gostos.

Olhem as maravilhas…

A cidade de Knidos é um sítio arqueológico bem preservado e aberto ao público, você caminha entre peças e ossos soterrados, você pode encontrar várias lembranças de mais de 2000 anos para levar pra casa. Claro que passamos um bom tempo dando uma de arqueólogos…

As tumbas da cidade de Kaunos foram escavadas nas montanhas e datadas em mais de 2500 anos.
Toda a península é enfestada de abelhas. Sendo muito comum encontrar nas estradas, barraquinhas com excelente mel! As caixas de abelhas estão espalhadas pelo caminho.

E as praias… Restaurantes magníficos, banho de lama, visões de cinema e as águas mais cristalinas que já mergulhamos.

Nas fotos está a praia de Iztuzu, onde a faixa de areia divide a água doce da salgada. Também é conhecida por turtle beach, por ser um santuário de tartarugas. Notem que existem gaiolas pela areia para protegerem os ovos que ficam espalhados pela praia.

Outro ponto interessante foi a praia de Kiz kumu, onde existe uma lenda de uma menina tentou atravessar o mar, fazendo um caminho de areia que estáva em seu vestido. Porém quando a areia acabou ela se afogou. Você entende melhor a lenda indo à praia e vendo o estreito caminho de areia, onde as pessoas parecem caminhar pelas águas e que termina no meio do mar. Hoje uma estátua marca o local.

De quebra, ainda encontramos um banho de lama medicinal, com água carregada em enxofre.

Para finalizar, encontra-se peixe fresco em toda península, acompanhados do famoso molho de iogurte. De saideira todos tomam um copinho que parece ser delicioso, porém é apenas chá.
Em resumo, se tiver a Turquia em mente, evite apenas as regiões de fronteira com a Síria e não tenha medo! Se puder visite este país recheado de História, cultura, belas praias e, é claro, vinhos.
FOTOS: LOCO POR VINO – ARQUIVO PESSOAL

Loco por Vino: a beleza de Santorini e o Vinsanto!

Loco por Vino: casal viaja o mundo em busca dos melhores vinhos do planeta