Referência no mercado de luxo, Manu Berger fala sobre a rotina à espera da primeira filha

Catarinense referência no mercado de luxo conta o que uma empresa deve fazer para se inserir nesse segmento e destaca hotéis boutique do Estado

manu berger
Foto Diorgenes Pandini/Diário Catarinense

A barriguinha ainda é discreta, afinal são apenas 13 semanas de gestação, mas desde que anunciou a gravidez de Isabelle – sua primeira filha com o empresário João Paulo de Toledo – Manu Berger, 33, já percebeu que a rotina cheia de viagens terá que ser adaptada. Fundadora do portal Terapia do Luxo, pioneiro em conteúdo sobre alto padrão na região Sul, a catarinense é referência na área, com formação na área do mercado do luxo em Paris, Milão, Londres e Nova York, um livro publicado e palestras e cursos proferidos em todo o Brasil. Natural de Florianópolis, mas morando em São Paulo, Manu já desenvolveu trabalhos para grifes internacionais como Cartier e Tiffany. Confira a entrevista:

A gravidez mudou sua rotina?
Ainda não porque a Isabelle é bem comportada. Estou tranquila, sem enjoos, mas sei que depois vai mudar muita coisa. Vou ter que dar uma segurada especialmente nas viagens. Hoje dificilmente passo um mês seguido em casa. Agora estou vivendo aquele momento mágico que aconselho a toda mulher. Foi uma gravidez planejada, mas mesmo assim a gente fica na ansiedade. Apesar de que estou bem controlada, tentando segurar minha mãe e meu marido. Eles sim enlouqueceram (risos).
Qual o foco do portal Terapia do Luxo, que completou seis anos?
É um portal de conteúdo bilíngue em que a gente fala de até 36 segmentos no mês. São duas matérias por dia, 100% focadas no segmento de alto padrão. Falamos de moda, gastronomia, hotelaria, tudo no mercado de luxo.
O que uma empresa precisa ter para se enquadrar no segmento de luxo?
Acho que o principal é a essência. Nós vemos marcas centenárias como Cartier e Tifanny que não se perderam no meio do caminho, passaram por dificuldades, por coisas boas e ruins, mas sabem quem elas são, têm essa essência muito forte, conseguiram permanecer no tempo, evoluir, criar produtos para a nova geração. Buscaram conhecimento desse novo consumidor e mesmo assim não perdem aquilo que elas são. Isso é de extrema importância nesse mercado. O consumidor de luxo busca essa verdade.
Santa Catarina tem algum setor que se destaca no mercado de luxo?
O turismo. Na hotelaria temos importantes resorts.
Qual o perfil desse público?
É um público bem exigente, acima dos 30 anos, na maioria mulheres. Um público que gosta de ser mimado e está acostumado com isso.
Luxo não significa ostentação, certo?
Hoje o conceito está mudando muito, a experiência está valendo muito mais que o preço do produto, tanto que existe uma pesquisa que faz um ranking das prioridades para esse cliente de alto padrão e o preço está lá embaixo. Primeiro ele procura experiência, tradição do negócio, exclusividade.
manu berger
Foto Diórgenes Pandini/Diário Catarinense
Qual o maior luxo que você já se deu?
Eu me dou bastante luxo, mas acho que recentemente o maior foi num dia de semana fugir do escritório e ir para casa dormir (risos). Isso eu fiz bastante porque no primeiro trimestre da gravidez tive bastante sono, incontrolável até, então foi um dos luxos que me dei.
Existe crise no mercado de luxo?
Existe, mas claro que é um mercado menos afetado e que aloca o valor. Então ao invés da pessoa comprar uma bolsa que custa uma fortuna ela vai pensar em ir num restaurante com a família, pode ser cinco estrelas, pode gastar até o mesmo valor, mas buscando mais a experiência, esse relacionamento afetivo.
Qual a dica pra quem quer se inserir nesse segmento?

Estudar seu público, seu mercado, aí você vai conseguir se conectar. É difícil porque é um público bem diferenciado que a gente precisa cativar, então capacitação nesse mercado é essencial.

Assista ao vídeo com a entrevista:

 

Leia também:

Saiba como a catarinense Alice Matos transformou a paixão pelo mundo fitness num negócio milionário

Felipe Morozini traz exposição a Floripa e defende intervenções urbanas

Brincadeira saudável: conheça a tinta orgânica feita com matéria prima catarinense