Marca Diesel perde 14 mil seguidores após apoiar mês do orgulho LGBTQ+ e comemora

"Menos 14 mil seguidores depois de compartilharmos a campanha Pride. Obrigada", disse a grife italiana em um comunicado nas redes sociais

Diesel
"Para aqueles que compartilham nossas crenças e valores, vamos celebrar o fato de que amor é amor", afirma a marca. Foto: Reprodução/Instagram

Em junho, mês internacional do orgulho LGBTQ+, a grife italiana Diesel postou em seu Instagram fotos da campanha Pride, que celebra a diversidade e o amor entre pessoas do mesmo sexo. Em consequência, seu perfil perdeu milhares de seguidores que se incomodaram com a temática.

Só que, ao invés de se preocupar com o afastamento dos usuários, a marca comemorou. No Instagram, a Diesel explicou:

“Nos orgulhamos de nossas crenças por mais de 40 anos e acreditamos em #Pride (nome da campanha, que significa orgulho). Para aqueles que não o fazem, inclusive os 14 mil seguidores que nos deixaram na última semana… adeus! Para aqueles que compartilham nossas crenças e valores, vamos celebrar o fato de que amor é amor. Sempre”.

Em comunicado oficial, eles explicaram seu posicionamento:

“A Diesel sempre apoiou a comunidade LGBTQ+. E mesmo que a gente goste de pensar que a nossa rede no Instagram compartilha dos mesmos valores, depois de uma semana e muitos comentários homofóbicos surpreendentes, descobrimos que perdemos 14 mil seguidores por conta de nosso conteúdo que cobria o mês do orgulho LGBTQ+ e mostrava o apoio da marca. Enquanto outras viam isso como uma razão para se preocupar, nós decidimos celebrar a saída dos seguidores. Seguidores são importantes. Mas o amor é mais”.

Parte do dinheiro arrecadado com a campanha Pride será revertido para a The Stonewall Inn Gives Back Initiative, uma organização sem fins lucrativos que apoia iniciativas sociais LGBTQ+ ao redor do mundo.

Leia mais:

No Dia do Orgulho LGBTQI+ confira dicas de leitura que abordam o tema

Lady Gaga incentiva Príncipe William a ajudar LGBTs desabrigados

Anitta fala sobre bissexualidade: “Roubava pretendentes do meu irmão”