Marcos Piangers e o estilo de vida da família mais pop do Brasil

Jornalista fala sobre o sucesso inesperado e a rotina com a esposa e as duas filhas

piangers
Foto Tiago Ghizoni

Quando começou a escrever sobre a experiência de ser pai, isso há mais de dez anos, o jornalista Marcos Piangers nem de longe imaginava que se tornaria um fenômeno na internet. Na época já era um comunicador reconhecido no Sul pelo trabalho como apresentador de TV e rádio, no badalado programa Pretinho Básico, mas foram seus textos publicados despretensiosamente na web que conquistaram o Brasil. Hoje ele acumula mais de três milhões de seguidores no Facebook e meio milhão no Instagram. Num único vídeo, onde fala sobre o poder de dizer eu te amo, obteve mais de 50 milhões de visualizações.

Autor do mega sucesso O Papai é Pop, lançado em 2015 e publicado também na Espanha, Portugal, Inglaterra e Estados Unidos, Piangers forma com a esposa e também escritora Ana Cardoso e com as filhas Anita, 13 anos, e Aurora, 6, uma espécie de família modelo. Não que sejam perfeitos, mas ganharam a simpatia do público por expor os sentimentos e falarem com o coração. Piangers conquistou fãs pelo fato de defender a maior participação dos pais na criação dos filhos e dividir seus anseios e alegrias por meio das palavras.

piangers
Foto Giselle Sauer

Natural de Florianópolis e vivendo muitos anos em Porto Alegre, atualmente ele mora em Curitiba, cidade que escolheu para priorizar o convívio familiar. Leva uma vida simples, como gosta de dizer, e pretende se aposentar antes dos 40. Nessa entrevista especial à Versar, onde também é colunista, ele fala sobre como a família lida com a exposição, a rotina em casa e a satisfação de impactar de maneira positiva na vida de tantas pessoas.

Como a exposição afetou a sua vida em família? Perdeu a privacidade sendo o papai mais pop do Brasil?
Nós estamos sempre discutindo isso. Quando vamos a um local público e alguém vem tirar uma foto isso tem impacto na percepção das nossas filhas, no nosso relacionamento. Eu costumo falar em casa que o que mais importa é como a gente está se sentindo, então é um exercício constante de se lembrar “cara, tô aqui nesse restaurante e tá todo mundo me olhando porque eu sou o papai pop e querendo ver o que ele vai fazer nesse momento de birra das filhas”, mas não importa, às vezes todo pai passa por situações complicadas. Esses dias eu tava no supermercado, o Aurora caída no chão, chorando porque queria comprar alguma coisa, eu me abaixei, expliquei que ela não devia fazer aquilo, minha vontade era de pegar ela pelo braço e ahhhh, mas eu me abaixei e passou um cara com um carrinho, me olhou e falou “escrever é fácil né” e saiu (risos). E é verdade, escrever é mais fácil que a vida real, a vida real é bem mais difícil, mas essa é a vida real que eu escolhi, que eu gosto, então não me sinto mal quando estou fazendo isso, minha vida é uma vida muito simples.

As meninas se incomodam de alguma maneira?
A mais velha sim. A Anita tem 13 anos e às vezes ela opta por não estar em alguma foto, ela se posiciona do lado e de forma muito educada, porque a gente conversou muito sobre isso, ela opta por não estar com a gente em alguns momentos, e eu acho maravilhoso que ela tenha essa liberdade, nós nunca vamos obrigar ela a estar nas fotos ou fazer os trabalhos. Já a Aurora adora, se alguém tira foto comigo ela já se coloca junto, vem correndo porque quer aparecer, fala orgulhosa que eu sou o papai pop, é uma diversão. Mas eu tenho sempre que me lembrar que eu não sou o papai pop, sou o pai delas, isso é a coisa mais importante, até porque vejo isso como uma missão pra aproximar outros pais de seus filhos.

piangers
Foto Divulgação

Como é a rotina de vocês em casa, como família?
A gente organiza a agenda pra fazer tudo junto. Acordo cedo, tomamos café da manhã juntos, levo as meninas pra escola, volto pra casa, trabalho um pouco. É uma rotina que me agrada muito porque eu faço tudo a pé, não uso carro, nosso apê é simplérrimo. A gente não tem eletrônicos ao redor, então no almoço estamos sempre olhando um no olho do outro. Alimentação é saudável, assino uma cesta de orgânicos direto do produtor. Não temos TV, assistimos netflix no computador, criamos nossos próprios jogos, brincadeiras. Quando vou palestrar em algum lugar legal levo todo mundo. Fomos recentemente para Fortaleza, Bonito, agora vamos para a Amazônia, legal também poder dar oportunidade para as pequenas conhecerem lugares especiais.

Você é de Florianópolis, morou em Porto Alegre e recentemente se mudou para Curitiba. O que motivou essa decisão?
A Ana, minha esposa, estava há 20 anos longe da mãe. Até pensei em voltar pra Floripa, mas ela argumentou que nós nunca tínhamos morado em Curitiba e a gente construiu uma vida profissional que nos distanciava de qualquer escritório, então a gente podia morar em qualquer lugar que a gente quisesse. Optamos por ficar lá perto de uma família grande, o que está sendo muito legal porque pela primeira vez eu tenho almoço de domingo , treta entre irmãos, intriga, é maravilhoso ter família, ter um ninho amplo pra nos ajudar, dar exemplo, dar referência pras minhas filhas também.

Muita gente nem sabe que você é catarinense…
Quando eu morava em Floripa por conta da minha mãe ser gaúcha as pessoas achavam que eu era gaúcho. Aí fui pro Rio Grande do Sul e virei “catarina” e me sentia meio deslocado nos dois lugares. Por conta dos de ter estado no holofote nos últimos anos agora é até engraçado porque todo mundo tem orgulho de mim, gaúchos e catarinenses. (risos) Então se você está deslocado é só fazer um pouquinho de sucesso que resolve. Tem uma frase que diz que o sucesso tem muitas mães e o fracasso é órfão.

Seu trabalho mais recente, o livro O Poder do Eu te Amo, nasceu do vídeo que fez enorme sucesso na internet…
É um livro até meio preguiçoso… Nasceu de um texto que eu escrevi, transformei em vídeo e causou tanto impacto na vida das pessoas que a gente imaginou que seria legal transformar num livro. Ele foi todo desenvolvido pelo designer Fábio Haag que transformou cada frase em elementos, algo poético, que você pode dar de presente pra alguém que você gosta. Vendeu muito no dia dos namorados porque está cumprindo o papel dele que é meio que ser a materialização do amor.

piangers
Foto Tiago Ghizoni

Você diz muito eu te amo?
Muito, e com prazer, porque eu tive toda uma relação familiar difícil, muito solitária, então quando eu consegui criar um núcleo familiar mais completo, estruturado, eu sou muito agradecido, e eu falo muito eu te amo pra minha esposa, pras minhas filhas, pra minha sogra, pros meus cunhados…

Como se sente sabendo que seus textos impactam tanto na vida das pessoas?
Eu só continuo fazendo porque tem impacto na vida das pessoas, essa é a coisa mais especial, são muitas histórias. A mais marcante eu coloquei no livro, é de uma filha que vai visitar a mãe com Alzheimer no hospital todos os dias, a mãe já não reconhece a filha, e ela viu o texto o poder do eu te amo e inspirada olhou bem no olho da mãe e disse: mãe eu te amo. E a mãe olha pra ela e começa a chorar e diz: minha filha. Ela me escreveu e disse “já valeu a pena ter te conhecido Piangers”. Eu fico mega emocionado.

Quais os próximos projetos?
Nós gravamos em Blumenau o especial O Papai é Pop, a palestra, que deve ser lançado em breve. E também viajamos todo o Brasil gravando um documentário sobre paternidade. Entrevistei pais adotivos, homossexuais, que abandonaram seus filhos, pais que cuidam sozinho, pais que largaram o emprego pra cuidar dos filhos. É maravilhoso a quantidade de aprendizado que a gente adquire quando vai ouvindo outras histórias. E não tem essa coisa de ser diferente, homem e mulher têm a mesma capacidade de cuidar. Não tem essa de mãe é mãe, de homem não sabe, mentira, homem também aprende fazendo!

Como se imagina daqui 30 anos, um vovô pop?
Eu me imagino daqui 3 anos, meio que tranquilão, aposentado, só escrevendo pro jornal, porque essa vida de lançar livro e palestras exige muita energia, muito contato, e eu gostaria muito de poder ter mais tempo com minhas filhas sem fazer nada, só deitado na grama, conversando.

Assista ao vídeo com a entrevista:

Leia mais:

Diário de mãe: a importância e as dificuldades da amamentação

Thalita Meneghim promove segunda edição de aniversário

Experiência gastronômica de Santa Catarina para o mundo