Marcos Piangers: Isso foi ontem. Um dia a gente aprende.

Marcos Piangers
Giselle Sauer/Especial

E você me disse que me odeia e que preferia não ter nascido. Isso foi ontem, quando você fez dezoito anos. E um pouco antes eu disse que não ia emprestar o carro, que apesar de estar com o papelzinho da auto-escola aquilo ainda não era a sua carteira de motorista. E você disse que estava muito nervosa no teste e não sabia se tinha passado. E você disse que estava feliz com a nova escola, já tinha feito umas amigas. Isso foi ontem, quando a gente  se mudou de cidade.

E você disse que tinha adorado a festa, mesmo que a gente tivesse pouco dinheiro pro vestido de quinze anos. Eu senti que você estava só sendo educada. E você disse que a prova tinha sido impossível e que a professora não ensinava nada e só jogava a matéria no quadro. Isso foi ontem, quando você me falou que pegou recuperação. E você disse que ia brincar um pouco mais lá embaixo e ia fazer a lição de casa amanhã de manhã. Isso foi ontem, e até agora nada.
E você me disse pelo telefone que estava com saudade e eu me senti o pior pai do mundo porque não estava com você no seu aniversário de onze anos. E você veio correndo me mostrar mais um dente que tinha caído e eu peguei o dente e guardei no bolso da minha camisa e esqueci ele lá. E você odiou quando a gente passou seu aniversário em Recife, longe de todas as suas amigas, sem festa e sem presente. Isso foi ontem, quando você fez nove anos.

E você disse que agora não precisa mais sentar na cadeirinha do carro. E eu te dei um celular bem baratinho, porque não conseguia me imaginar longe de você sem poder me comunicar. Na
escola tinha aquele menino que te chamava de “menina do celular”, porque você era a única menina com pais tão neuróticos. Isso foi ontem, no primeiro dia de aula da primeira série.

E eu e a sua mãe choramos escondidos com uma pena de você, quando sua irmã nasceu e sentimos que você não seria mais nossa princesinha. Iria ter que dividir o reino com um novo bebê. Isso foi ontem a noite, depois que você dormiu. E você insistiu pra dormir na minha cama porque estava com medo do escuro e me chutou a noite inteira. Isso foi ontem e agora eu estou todo dolorido. E você me disse que me amava pela primeira vez, provavelmente só repetindo o que eu te digo todo dia. Isso foi ontem. E eu estava nervoso e atrapalhado. Sua mãe tranquila e feliz. Viramos a noite no hospital, ontem, quando você nasceu. Tentando entender como cuidar de você. Um dia a gente aprende.

Leia mais:
Marcos Piangers: costumo chorar no palco e acho isso pouco profissional

Marcos Piangers: escrever com o coração sempre me deixou amedrontado