Matrioshkas: Conheça as bonecas russas que trazem um pouco do país da Copa do Mundo para o Brasil

matrioshka
matrioshka

Na véspera da Copa do Mundo de futebol, descobrimos em Florianópolis um pedacinho da Rússia, país que recebe o mundial a partir do dia 14 de junho. Há dez anos, a russa Tatiana Orlova descobriu Jurerê Internacional. Em uma viagem à passeio, se encantou com a mistura de culturas e idiomas que encontrou no balneário, e três anos após a primeira visita retornou para montar uma loja de bonecas russas.

– Quando estive em Florianópolis pela primeira vez, eu já sabia o que iria fazer aqui. Queria apresentar a cultura russa. Na minha família, todas nós pintamos as bonecas, eu cresci vendo minha vó e as irmãs dela pintando e cantando. Na Rússia, as matrioshkas são símbolos da família e da felicidade, e era isso que eu queria trazer para cá – contou Tatiana.

Foto: Felipe Carneiro

As matrioshkas são bonecas de madeira em um conjunto de tamanhos crescentes, colocadas uma dentro da outra, simbolizando uma família. É uma bonequinha cheia de história. Criada há mais de 120 anos na Rússia, iniciou a trajetória como um brinquedo instrutivo e depois se tornou uma tradição familiar. Na loja da Tatiana, as peças preservam todas as características tradicionais. Os produtos são trazidos diretamente da Rússia, e são produzidos por 34 artistas plásticos de lá, tudo sob a supervisão da proprietária, que administra a produção aqui do Brasil.

– Utilizamos uma madeira especial, cuja árvore de nome Lipa só cresce na Rússia. Ela passa por um processo de secagem de dois anos, só então fica pronta para a concepção e criação artesanal das matrioshkas.

A empresária Tatiana Orlova ao lado das bonecas gigantes. Foto: Felipe Carneiro

Sendo a única loja da América Latina que mantém essas características, a empresária viaja pelo Brasil expondo suas peças em feiras e eventos. E foi com objetivo de ampliar a divulgação dessa cultura que ela teve a ideia de produzir as bonecas russas gigantes.

– Estávamos recebendo muitos convites para abrir a loja em outros locais, e então eu criei esse projeto com as bonecas russas gigantes para chamar atenção para o meu negócio e também para divulgar mais a história dessas bonecas.

As peças são as únicas produzidas em Florianópolis. São feitas de fibra de vidro e possuem 2,60m de altura e 1,35m de diâmetro. Foram pintadas por artistas brasileiros, com detalhes e desenhos que mostrem costumes, religião e locais da Rússia.

A matrioshka tradicional é pintada com as cores amarela e vermelha, mas há também bonecas que retratam figuras importantes da política, e também imagens religiosas. Elas podem custar de R$ 80 até R$ 4,5 mil – com detalhes em ouro -, e levam entre um dia e seis meses para ficarem prontas.

Peças com detalhes em ouro. Foto: Felipe Carneiro

Além de toda a carga histórica familiar, as matrioshkas também carregam uma característica mística.

– As bonecas russas devem ficar abertas, porém todas juntas. Existe uma tradição que fala para colocar dentro de cada uma delas um pedido escrito em um pedaço de papel. Quando o pedido é realizado ele deve ser trocado por outro. É por isso que elas são também símbolo da felicidade.

Exposição

As matrioshkas gigantes estão expostas no calçadão de Jurerê Internacional, e no período da Copa ficarão em um shopping de São Paulo. No atelier das bonecas gigantes, outras unidades já estão sendo produzidas, já que os pedidos aumentaram com o início da Copa que se aproxima.

Mas a empresária salienta que além de aproveitar o momento para divulgar a cultura do seu país, ela deseja que as matrioshkas deixem um legado de amor.

– Em todas as cidades que as bonecas gigantes passam eu entrego gratuitamente 500 exemplares de um livro para colorir que criei para distribuir em orfanatos e hospitais que atendem crianças com câncer. São esses momentos que me deixam mais feliz.

Leia também:
Emilim Schmitz: dicas para ir à Rússia durante a Copa do Mundo