Os cinco maus hábitos que podem acabar com a sua pele

Dormir de maquiagem, fumar e consumir açúcar em excesso podem comprometer a beleza do seu rosto

Foto: Pixabay

Manter uma rotina de cuidados com a pele exige tempo e paciência também. A verdade é que, no meio da correria do dia a dia, negligenciamos a beleza do maior órgão do nosso corpo. Existem muitas armadilhas diárias, então listamos os cinco piores hábitos que podem estar acabando com a sua pele, com a ajuda dos dermatologistas Valéria Marcondes e Jardis Volpe:

Dormir mal 

A falta de sono diminui o metabolismo do ciclo circadiano, o que compromete o tempo necessário para que ocorra o reparo e regeneração da pele durante o período noturno.

– Isso afeta a produção natural de melatonina que também é parte da defesa antioxidante primária do nosso organismo – explica Valéria Marcondes.

Nessa questão, outro ponto também deve ser analisado: a forma como dormimos.

– O fato de dormir com o rosto de lado ou de bruços ajuda a formar rugas dinâmicas importantes, e que muitas vezes nos faz envelhecer mais assimetricamente com demarcações mais profundas das linhas e das rugas. O ideal é dormir com a barriga para cima – conta.

Dormir de maquiagem

Não faça isso, mesmo que, muitas vezes, o sono fale mais alto.

– Para deixar a pele do rosto sempre bonita e saudável é preciso ter o hábito diário de remover toda a maquiagem, principalmente antes de dormir. E para auxiliar nessa tarefa, existe o demaquilante – afirma o  dermatologista Jardis Volpe.

Dormir com a maquiagem pode acelerar o envelhecimento da pele, causar alergias e até acne.

Não usar filtro solar 

O protetor solar deve ser parte de sua rotina matinal como escovar os dentes. E não só no verão! No inverno e em dias encobertos o produto também deve ser usado, uma vez que as nuvens não conseguem bloquear os raios.

– A exposição solar sem fotoproteção é o mais importante agressor da pele, que leva a um dano cumulativo, com consequente fotoenvelhecimento precoce, inflamação, manchas, melasma e um aumento do risco de câncer de pele – explica Jardis.

O filtro solar deve ter proteção eficiente contra as radiações UVA e UVB, mas também deve proteger da luz visível e da Infrared. Esse protetor deve contar com filtros físicos, como o óxido de zinco e dióxido de titânio, associado a filtros químicos para aumentar o grau de fotoproteção.

Consumir muito açúcar e carboidratos

A ingestão de açúcar em excesso colabora para um processo de glicação, que é quando as fibras de colágeno e elastina endurecem por reagirem com esses componentes.

– Com isso, elas perdem a questão da maleabilidade, da flexibilidade, da sustentação e ancoragem da pele. O açúcar também está ligado, segundo estudos, ao aparecimento de manchas  – detalha Valéria.

O acúmulo de AGEs (espécies avançadas de glicação) gera ação inflamatória e envelhecimento precoce de todo o sistema. Para reverter esse quadro, é necessária a aplicação tópica e o uso de produtos via oral com ação antiglicante e desglicante. Mas a diminuição do açúcar na dieta é necessária – completa.

Atenção também aos carboidratos, que viram açúcar ao final da digestão.

Fumar

Pode parecer batido, mas não custa repetir. O consumo de cigarro induz ao envelhecimento, já que as substâncias tóxicas presentes estão associadas à vasoconstrição periférica por um período de dez minutos, o que diminui o fluxo sanguíneo para o tecido cutâneo e cabelos.

– Isso traz consequências na perda da viço e luminosidade da pele, além de favorecer o amarelamento do tecido. Também há uma perda de firmeza por conta da oxigenação e nutrição diminuídas – finaliza Valéria.

Leia mais:
Açaí: com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, fruta pode salvar sua pele e cabelo 
Como evitar rugas e manchas na peles branca e negra
Câncer de pele: saiba quais são os tipos, como prevenir e tratar