O melhor restaurante do mundo é italiano

Conheça também a nova pizzaria de Florianópolis

Osteria Francescana. Foto: Reprodução/Facebook

Localizada em Modena, na Itália, a Osteria Francescana foi eleita o melhor restaurante do mundo na lista 50 Best Restaurant de 2018. O chef Massimo Bottura reinterpretou a comida tradicional da Itália. O único brasileiro foi o D.O.M, do chef Alex Atala, que caiu duas posições e agora está em 30º lugar. A Osteria é o primeiro restaurante italiano a alcançar este feito.

O prato “Abóbora de Mantova a ragusa”, um dos destaques da Osteria, é divido em dois elementos: ravióli de abóbora, que é doce e tem um gosto forte, e cannoli recheado. Massimo explica: “Pego esse ravióli clássico e recheio com abóbora do jeito que minha avó fazia. É muito doce. É ravióli de Mantova. O Cannoli me lembra do sul, porque no sul tem muitas amêndoas e açúcar. São sabores clássicos que me lembram a Sicília. Doce e azedo.”

Pizza com sabor e glamour

Foto: Divulgação/Carbone

Fui conhecer a Carbone Pizzeria, que abriu as portas no dia 16 de junho na Square Corporate, na SC-401. Com horta própria de temperos no local e farinha italiana, do seu forno à lenha saem preciosidades. Bruschettas, crostini, cornicione, provola, melanzane e burrata são as entradas, além de carpaccio e antepastos e as finíssimas schiacciatine com sal grosso e alecrim. Com 26 sabores de pizzas nas categorias Especial, Italiana, Tradizionali e Dolce, feitas com massa fina e com resultado crocante. Gostei e recomento a pizza Di Mamma, (foto) com molho pelati, mozzarella de búfala, tomate cereja, manjericão e orégano.

O projeto do local é uma atração a parte, com mesa coletiva, sofás, pedras, espelhos, cordas e luminárias artesanais que deixam o local aconchegante. O seu bar com ótimos drinks, carta de vinho e cervejas, é lindo.

Icewine

Wandér Weege. Foto: Divulgação

Este ano, teremos a terceira safra do Icewine, o vinho licoroso elaborado com uvas colhidas maduras e congeladas naturalmente nos vinhedos com a temperatura de -7,5 graus da vinícola, localizada a uma altitude de 1.3 mil metros acima do nível do mar, um dos pontos mais frios de São Joaquim, na Serra Catarinense. Na manhã do último dia 24 de maio, o frio intenso, proporcionou a colheita que resultará na terceira safra do Icewine. A primeira foi em 2009 e a segunda em 2010. O empresário Wandér Weege é o único produtor desta maravilha no Brasil, que é elaborado com uvas cabernet sauvignon completamente congeladas, cultivadas em espaldeiras, com uma produção de somente 500g por planta.

Leia mais:

Aprenda a fazer uma feijoada de polvo

Dobradinha de frutos do mar é perfeita para o inverno

Memórias do Box: o baixinho da Kaiser e um clássico da gastronomia