Memória do Box: Arthur Moreira Lima, um gênio da cultura brasileira 

Foto: Arquivo Pessoal

O genial pianista Arthur Moreira Lima, amigo querido, atualmente com 79 anos, morador do Costão do Santinho, foi e continua sendo um dos grandes frequentadores do nosso balcão no Mercado Público, desde o final da década de 1980. 

Em 2005 recebeu merecidamente o título de Cidadão Catarinense. Sua paixão pelo piano começou aos seis anos de idade, quando foi estudar com a professora Lúcia Branco, que também teve como aluno Tom Jobim. Arthur projetou-se internacionalmente na Competição Internacional de Piano Fréderic Chopin, em 1965, quando chegou em segundo lugar.

Na prestigiada Competição Internacional Tchaikovsky em 1970, chegou em terceiro lugar e daí para a frente foi uma linda carreira, coroada com o caminhão teatro, que percorreu mais de 300 mil quilômetros pelo brasil, levando a grande música de concerto que faz parte da sua história.

Casado com a catarinense Margareth Garrett, sempre que chega ao mercado é cercado pelos fãs e pelos torcedores do Fluminense, sua segunda paixão. Adora escutar e contar piadas e numa das vindas surpresa, como eu não estava, deixou o seguinte bilhete que guardo com carinho:

Caro amigo Beto,  Margareth e eu viemos aqui para matar as saudades e houve desencontro de horários. Então, fica substituída a “alegria do eterno encontro, pela frustração do casual desencontro”. Abração do Arthur. Florianópolis, 06.06.2016. P.S. Precisamos trocar figurinhas.  

Volte sempre querido amigo! 

Leia mais:

Gin: a bebida que está na moda

Receita manezinha homenageia Saint Exupery

Jader Jorge, conhecido como o rei do kibe