Memórias do Box: o baixinho da Kaiser e um clássico da gastronomia

Foto: Arquivo pessoal

Conhecido nacionalmente como baixinho da Kaiser, pelos comerciais alegres, este simpático e divertido paulistano nos visitou pela primeira vez em 1989. Curioso, perguntei como foi escolhido para fazer o comercial. A sua resposta é uma prova de que cavalo encilhado só passa uma vez. Seu emprego era de iluminador em uma agência de publicidade, aquele que fica segurando a luz na ponta de uma haste.

Para a sua sorte, no dia da gravação, o ator que deveria fazer o comercial estava demorando muito para chegar. Enquanto isto, ele ficou fazendo gracinhas com as pernas, caminhando e dando umas olhadas para trás para divertir o grupo. Foi neste momento que o diretor do comercial disse: “você é o cara, vamos esquecer o ator e gravar”. Na foto, ele está com o meu filho Romulo Barreiros, com 6 anos.

Eternos clássicos

Foto: Arquivo pessoal

Nos melhores restaurantes do mundo, o coquetel de camarão sobrevive a décadas e continua na moda. Por ser um clássico, está nas mais elegantes recepções. Foi criado
na França no início do século XX.

É uma receita fácil de ser preparada em casa. Faça o seu com 300 g de camarões médios cozidos no vapor com um pouco de sal e pimenta moída na hora. Para o molho, utilize 150 g de maionese, 50 g de ketchup, duas colheres de mostarda, gotas de molho de pimenta e cebolinha picada finamente. Misture todos os ingredientes e após molhe o camarão nele.

Leia mais:

Memória do Box: o dia que Ivo Pitanguy e Domenico de Masi visitaram Floripa

Memórias do Box: Quando Astor Piazzolla aprendeu a fazer caipirinha

Conheça os drinques preferidos da Rainha Elizabeth II