Menina com Down vence concurso de beleza infantil realizado em SC

modelo down
Foto: Arquivo Pessoal

*Por Larissa Roso

Tatiane da Silveira dos Santos, 34 anos, está trilhando em nome da filha, e ao lado dela, uma jornada contra o preconceito. A vendedora de roupas é mãe de Maria Vitoria dos Santos Mostardeiro, dois anos e sete meses, que tem síndrome de Down e conquistou o título de Miss Baby Destaque RS, em um concurso de beleza realizado em Blumenau, no mês passado. Crianças e adultos de diferentes idades, em sua maior parte sem deficiência, disputaram as faixas.

Leia também: Modelo catarinense com Síndrome de Down faz sucesso na internet

A credencial permite que a pequena participe do Miss Baby Brasil, programado para o próximo mês de setembro, em São Paulo. Moradora de Cidreira, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, Tatiane afirma não ter recursos para custear a viagem que fará com a caçula de seus dois filhos.

 — Vou falar com o prefeito, vou correr atrás — planeja. A mãe acredita que as conquistas da filha podem ajudar a esclarecer a população.

— Quero mostrar que as crianças com síndrome de Down também têm capacidade para realizar sonhos. Os pais têm que ter força de vontade para estimulá-las. Elas podem se desenvolver bem, podem fazer tudo que uma criança normal faz — afirma.

A vendedora está engajada em uma mobilização, junto da prefeitura de Cidreira, para tentar abrir uma unidade da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) na cidade. Um bingo beneficente, com a distribuição de bicicleta, roupas e brinquedos, está previsto para breve.

Para o futuro, Tatiane não almeja, especificamente, que a filha siga a carreira de modelo:

— Desejo tudo de bom para ela. Meu sonho é que ela seja reconhecida. Como sofri muito preconceito na gravidez, quero mostrar para as pessoas que não aconteceu nada do que elas falavam que aconteceria. Minha filha foi um presente de Deus.

O que é a síndrome de Down

  • As células do corpo humano têm 23 pares de cromossomos — são 23 cromossomos do pai e outros 23 da mãe, totalizando 46. Na síndrome de Down, em vez de dois cromossomos no par 21, existem três, o que dá um total de 47 _ por isso o nome oficial da síndrome é trissomia do cromossomo 21.
  • Quase metade das crianças apresenta cardiopatias congênitas. Uma das características mais marcantes desses bebês é a hipotonia, o baixo tônus muscular. Mais molinhos, eles podem levar mais tempo para sugar o seio, firmar a cabeça, sentar e caminhar.
  • A estimulação precoce é determinante para o desenvolvimento motor e cognitivo, uma vez que as crianças com Down costumam apresentar deficiência intelectual em maior ou menor grau.
  • Infecções, hipotireoidismo, doença celíaca e complicações na visão e na coluna aparecem com mais frequência.
  • Trata-se de uma das síndromes genéticas para as quais o prognóstico melhorou muito nos últimos anos. Contribuiu para isso, de maneira decisiva, o esclarecimento da população. Com o amparo de profissionais de múltiplas especialidades e o fim da clausura, as pessoas com Down hoje podem frequentar a escola regular, integrar-se à vida em sociedade, trabalhar. O ideal, asseguram especialistas, é oferecer oportunidades.

Leia também:

Conheça a cafeteria de Santa Catarina em que todos os funcionários têm a Síndrome de Down

PMs de Videira fazem surpresa em festa de aniversário de jovem com Síndrome de Down

Jovem faz tatuagem com rosto de irmão com Síndrome de Down