Ativista humanitária catarinense, Bruna Kadletz, lança o livro “Minha terra mora em mim” nesta quinta-feira

'Minha terra mora em mim' traz relatos de quem trabalhou com populações em deslocamento nos últimos anos na África do Sul, no Líbano, Jordânia, Turquia, Hungria e Brasil

Foto: Divulgação

“Minhas idas ao campo de refugiados de Bourj el-Barajneh renderam uma amizade com Said As, professor palestino nascido no exílio. Said cresceu no campo. Apesar das ruelas empoçadas e construções empoleiradas serem a única casa que conhece, não é a única com a qual ele sonha. Em um de nossos encontros, num momento de inspiração poética entre os goles do forte café árabe, ele virou-se para mim e falou todas as pessoas moram em sua terra, mas a minha mora em mim. Quando disse a ele que visitaria a Palestina, o seu pedido de presente foi um punhado de terra dentro de uma garrafa, para se sentir mais próximo da sonhada casa”.

Assim a ativista humanitária catarinense, Bruna Kadletz, começa a história que deu nome ao livro que ela lança amanhã em Florianópolis. São relatos verdadeiros de quem trabalhou com populações em deslocamento nos últimos anos na África do Sul, no Líbano, Jordânia, Turquia, Hungria e Brasil.

Em 2012, Bruna viajou ao Saara em busca de crescimento espiritual e o acolhimento das mulheres marroquinas a uma estrangeira como ela durante o hammam, o banho público turco, ajudaram-na a vencer preconceitos com outras culturas. Três anos depois, ao conhecer de perto o campo de refugiados em Johannesburgo, na África do Sul, onde foi realizar pesquisa de campo para Mestrado em Sociologia e Mudança Global da Universidade de Edimburgo, Escócia, ela entendeu que precisava desenvolver um trabalho de ajuda a imigrantes e refugiados. Em Florianópolis, Bruna criou a entidade Círculos de Hospitalidade e passou a se dedicar integralmente às causa humanitárias.

O livro que faz parte da série Palavra de Mulher, da Editora Insular, traz um pouco das histórias de vida de Said As, professor amado pelas crianças que ele ajuda no Líbano; do Sheik que se empenha em salvar meninas de casamentos forçados; da mãe refugiada que não pode passar para a filha a tradição culinária de seu povo; dos meninos e meninas órfãs de guerra do abrigo no Vale do Bekaa, no Líbano. A ideia é chamar a atenção para a necessidade de ajuda a famílias que vivem em refúgio depois de serem obrigadas a abandonar o seu país, sua cultura, a casa, o trabalho e a própria língua materna. Bruna diz que “ao compartilhar algumas das histórias que cruzaram meu caminho nas viagens, tenho a intenção de ressaltar as nuances que geralmente não rendem manchetes, a face humana que sustenta números e estatísticas”.

O percentual da renda com a venda do livro que cabe à autora irá integralmente para ajudar o orfanato Molham e um projeto educacional no Campo de Refugiados Bourj El-Barajneh, ambos no Líbano, através do Fundo Humanize Refugiados, da organização que Bruna Kadletz preside, a Círculos de Hospitalidade.

 

Serviço

O quê: Lançamento do livro Minha terra mora em mim, Editora Insular
Quando: 12/09/2019 – quinta-feira – das 19h às 21h
Onde: CIC – Centro Integrado de Cultura ( na área circular em frente à Biblioteca de Arte e Cultura da FCC SC) – Florianópolis.

Leia também:

Descubra-se: projeto na Grande Florianópolis enaltece a liberdade de cada mulher 

Fernanda Montenegro é a mulher mais admirada do Brasil, revela pesquisa