Morre João W. Nery, primeiro homem trans a fazer cirurgia de redesignação sexual no Brasil

Ativista tinha 68 anos e foi vítima de câncer. Ele estava internado em Niterói (RJ)

Nery era símbolo da luta pelos direitos das pessoas trans no Brasil. Foto: Facebook / Reprodução

Primeiro homem transexual a submeter-se a cirurgia de redesignação sexual no Brasil, João W. Nery morreu nesta sexta-feira (26), aos 68 anos, vítima de câncer, em Niterói, no Rio de Janeiro. A notícia foi confirmada pela mulher do ativista, Sheila Saleswi. As informações são do jornal O Globo.

Nery, nascido Joana, era símbolo da luta pelos direitos das pessoas trans no Brasil e deu nome a um projeto de lei que tramita no Congresso desde 2013 para garantir o direito de retificar os registros civis, possibilitando mudanças de nome, sexo e foto no RG, de acordo com identidade de gênero, independentemente de intervenções cirúrgicas.

O ativista, que também era escritor, realizou o procedimento em plena ditadura militar, em 1977. À época, a cirurgia era proibida e Nery a fez de forma clandestina. Ele também tirou documentação com seu nome social às escondidas.

O ativista já havia publicado em sua página no Facebook que teria de se afastar da militância devido a complicações da quimioterapia. Ele já havia sofrido um infarto no qual precisou colocar três stents na artéria.

Nery contou detalhes de sua história no livro Viagem Solitária: memórias de um Transexual 30 anos depois. A obra autobiográfica foi lançada em 2011. Ele foi a inspiração para a personagem Ivana, jovem que se descobria trans e assumia a identidade sexual masculina com o nome Ivan na novela A Força do Querer, em 2017.