Morre Karl Lagerfeld, diretor criativo da Chanel, aos 85 anos

Designer estava há mais de três décadas à frente da Chanel

Karl Lagerfeld
Foto: Francois Guillot/AFP

Um dos maiores ícones do mundo da moda, Karl Lagerfeld morreu na manhã desta terça-feira (19) em um hospital em Paris. De acordo com informações de publicações como Mirror e The Sun, o diretor criativo da Chanel deu alta em um hospital na noite de segunda-feira (18). A causa da morte ainda não é conhecida, mas fontes afirmam que Karl passou por um período de doenças nas últimas semanas. Até o momento, a Chanel não deu nenhum pronunciamento sobre a morte de Lagerfeld, que estava há mais de três décadas à frente da label.

As especulações sobre as condições de saúde do designer começaram ainda no começo do ano. Em janeiro, Karl chegou a perder dois dos desfiles de Alta Costura da Chanel durante a Semana de Moda de Paris, no dia 22. Na época, a justificativa teria sido o cansaço e a label até leu um posicionamento sobre a ausência de sua figura mais ilustre:

“O Sr. Lagerfeld, diretor artístico da Chanel, que estava se sentindo cansado, pediu a Virginie Viard, diretor do estúdio criativo da Casa, para que o representasse”

Em entrevistas prévias, Lagerfeld contou que foi inspirado a viver o mundo da moda quando acompanhou a mãe em um desfile da Dior, em 1949. Depois disso, começou a fazer os primeiros desenhos. Em uma conversa para a Revista Madame Figaro Magazine, Lagerfeld contou que, quando o ofereceram o trabalho na Chanel e, 1985, ele aceitou cheio de reservas:

“Na época, eu já tinha uma boa reputação, estava com Fendi e Chloe. Eu fui alertado ‘Não aceite Chanel, é horrível’ Quando eu cheguei, Coco já tinha morrido há 10 anos e todo mundo vivia em respeito à sua memória. Se você quer matar uma Casa, mostre respeito”, disse à publicação.

Lagerfeld é reconhecido por ter tornado a Chanel mais moderna e atraente a um público mais jovem, trazendo novas cores, cortes e estilos aos looks. Além de seu trabalho, seu visual também se tornou icônico ao longo dos anos: o terno preto com os cabelos brancos presos em um rabo de cavalo, luvas sem ponta e óculos escuro viraram a marca registrada do designer.

Leia também:

Karl Lagerfeld não vai ao desfile de alta-costura da Chanel em Paris

Chanel vai parar de usar peles de animais exóticos em bolsas, casacos e sapatosmorte