Muito além da cuca e do marreco: 6 lugares imperdíveis em Brusque

Para descrever a culinária brusquense, convidei André Groh, influencer e multimídia, que é frequentador assíduo dos points da cidade

Sobremesa do Casarão Garibaldi (Fotos: Divulgação)

A história de Brusque a gente já conhece. Abrigada num vale de montanhas, a arquitetura das principais obras públicas da cidade é influenciada pelo estilo enxaimel. Na gastronomia, tem muito mais que a cuca e o marreco, pratos típicos locais.

Para descrever a culinária brusquense, convidei André Groh, influencer e multimídia, que é frequentador assíduo dos points da cidade. Ele elenca seis lugares para tomar café, almoçar ou jantar em Brusque, com cozinhas que vão do Peru ao Japão.

André Groh FOTO THIAGO BELLINI 2
André Groh (FOTO THIAGO BELLINI/Divulgação)

Casarão Garibaldi

A Rua Anita Garibaldi deu nome a este casarão histórico, recuperado e transformado num restaurante. O espaço é cenário de almoços e jantares decisivos para os negócios, recebendo executivos e celebridades. Celso Portiolli, Erick Marmo e Alexandre Iódice são habitués do restaurante. Outro dia Adriane Galisteu me perguntou: “que restaurante é esse que meu marido (Iódice) sempre fala?”. Os pratos levam nome de famílias e personalidades tradicionais de Brusque. Prove a nova versão do babaganoush, guarnecido de sofrito, queijo artesanal em infusão de azeite extra virgem e ervas, e legumes ao forno.

Café Gourmet

Fotos: Divulgação

Um dos melhores cafés da cidade, com torrefação artesanal. Para alimentar a experiência, aprecie a arquitetura com projeto assinado por Felinho Valle. O interior com arcos industriais remete a armazéns coloniais. Não deixe de provar as brusquetas da casa – a de linguiça Blumenau é minha preferida. Para os fins de tarde, vale trocar o café por um vinho. O proprietário Guilherme Fritzke, também sommelier, pode indicar a melhor opção de bebida para harmonizar com o menu, que tem até referências americanas, como os flatbreads e hambúrgueres. Toda sexta-feira, Demian Moritz faz discotecagem no vinil a partir das 16h.

Truffa di Cacao

A Truffa & Cia mudou de nome e endereço. Agora a chocolateria ganha ares de café e delicatessen, agregando a fábrica de chocolate. O novo espaço tem vista para contemplar a rua ou a fabricação de chocolates, num casarão da Rodrigues Alves, no coração de Brusque, com projeto da arquiteta Tamara Gevaerd Gomides. Na vitrine, uma generosa variedade de chocolates frescos para servir de sobremesa. Gosto de harmonizar um docinho tradicional ao leite com coco com o expresso, para que cause seu frisson. Se você der sorte, pode até estar rolando uma degustação de chocolates de boas vindas.

Zehn Bier Bar

Se um dia tiver que tombar a gastronomia recente da cidade, certamente o patrimônio Zehn Bier estaria entre os cogitados. A cervejaria abre espaço em seu pátio fabril para um dos mais tradicionais botecos de Brusque. A identidade é assinada pelo arquiteto Gustavo Barnabé. Nem preciso citar que a o chope está entre os highlights da casa, mas o cardápio de drinques não fica para trás. O bar foi precursor do boom provocado pelo Gin, e cria uma carta com combinações especiais. Um dos sucessos é o Gin Tropical, um clássico.

Ashka Cozinha Peruana

A ideia inicial deste restaurante recém-inaugurado veio na mala da família Valdivia, irmãs peruanas que chegaram ao Brasil para abrir um negócio e escolheram Brusque para dar o start. O menu é preparado pelo chef Bryam Terry Palomino Rojas. E no balcão, a família ensaia algumas palavras em português para atender aos clientes. Tanta energia do país latino é, certamente, protagonista nos pratos também. Pulpo al Chimichurri é um bom pedido: polvo marinado em iguarias peruanas e chimichurri.

Tsuru’s Izakaya

Um bar japonês que ocupa um contêiner em pleno Archer Boulevard. A luz reduzida propõe um ambiente intimista. O local já é muito bem frequentado por quem não abre mão de um ângulo favorável para assistir ao pôr-do-sol em dias de verão, acompanhado de bons vinhos e a gastronomia oriental do Tsuru’s, no comando do chef Luiz Fernando Kohler. O projeto é da arquiteta Daniela Schmitt, com uma recente atualização no layout feita pelo arquiteto Victor Cervi.

Leia também:

RECEITA: Bolachas decoradas de Natal resgatam a cultura alemã em SC

Leia mais colunas de Roberta Dalsenter