“Não é com qualquer coisa que você pode brincar”, diz humorista Diogo Portugal, que se apresenta em SC

Ele traz para Criciúma e Florianópolis o espetáculo "Antes Que Eu Me Esqueça!" Sócio do Clube NSC e acompanhante têm 50% de desconto

Diogo Portugal
Foto: Divulgação

Diogo Portugal traz para Santa Catarina pela primeira vez o espetáculo Antes Que Eu Me Esqueça!. O humorista, que está com o show na estrada desde o início do ano, brinca com os acontecimentos do mundo e do país, além de abordar com irreverência os temas cotidianos como o uso da tecnologia no dia a dia, relacionamentos e profissões.

O espetáculo chega a Criciúma no dia 17 de novembro e a Florianópolis em 18 de novembro. Sócio e acompanhante do Clube NSC têm desconto de 50% na compra do ingresso antecipado no site da Blueticket.

Por telefone, conversamos com Diogo, que contou um pouco sobre esse novo espetáculo e as adaptações para a nova forma de fazer humor. Confira:

Diogo Portugal
Foto: Divulgação

É a primeira vez que você trará o espetáculo Antes Que Eu Me Esqueça! para Santa Catarina. Conta um pouco sobre esse show.

Sim, essa é primeira vez do espetáculo aí no Estado. Nesse show eu brinco muito com essa minha coisa de ser uma pessoa esquecida. Tem muito material novo que eu fui escrevendo ao longo do tempo. Aliás, a última vez que eu estive em Floripa foi com a peça Portugal é Aqui, onde eu faço personagens: uma manezinha, um lutador, um porteiro, um office boy e uma ex-prostituta. Essa peça, agora, é um stand up mesmo, onde eu converso com a plateia, falo de tecnologia, relacionamento, religião e política. O espetáculo também tem piadas curtas, o chamado one liner, e muita interação com o público.

O público gosta dessa interação?

Essa é uma brincadeira que eu sempre faço nos lugares onde vou. Eu pergunto a opinião das pessoas sobre o que está rolando na cidade, mas não é uma obrigação, as vezes as pessoas não querem falar. A gente brinca que é o 0800 ou posto de reclamação. Dou espaço para pessoa falar do seu bairro, da sua cidade. É uma brincadeira. Eu gosto sempre de falar sobre as notícias que estão rolando na cidade, as vezes não está acontecendo nada e a gente não fala muito, mas isso já é uma característica do meu show.

Você foi um dos primeiros a trabalhar com o stand up no Brasil. Sente mudanças na forma de fazer humor?

Mudou muito, e em vários sentidos. Tem uma patrulha muito mais atenta às coisas que a gente fala. Hoje já não é com qualquer coisa que você pode brincar, tem que ficar bem esperto com isso, para não gerar processo. No palco acho que tenho mais liberdade de expressão. Mas para tuitar uma piada, eu me preocupo. Às vezes ela pode ter uma conotação negativa. Isso é muito ruim para o humor, eu vejo muitos amigos se ferrado por conta de uma piada.

O Youtube é um turbilhão de conteúdos e o humor aproveita muito desse espaço. Como você vê esse meio de divulgação para o trabalho dos humoristas?

Eu, na verdade, sou um produto do Youtube. Nas primeiras vezes que eu apareci na televisão em rede nacional, os vídeos já foram parar na plataforma. Mas, nesse caso, os vídeos não eram pensados. Hoje eu sou dono do meu canal, na época eu nem poderia. Hoje eu gravo um vídeo sobre um assunto que está rendendo no momento, eu já edito, para subir logo, porque a notícia vai ficar velha em dois dias.

A comédia tem um tempo. Esse tempo muda no teatro, na internet e na televisão?

No teatro você tem a liberdade de esperar a resposta da plateia. As vezes a plateia ri de uma piada que você não esperava, ou não ri de uma piada, então você funciona de acordo com a música. A plateia é o grande termômetro, ela vai te sinalizando para onde ir. Por isso, eu gosto de deixar meu texto meio solto, as vezes eu troco a ordem na hora.

Sendo assim, cada espetáculo é diferente?

Sim, mas claro que eu tenho uns temas certos. Eu falo sobre várias coisas da nova geração e sobre a minha relação com a minha filha, de sete anos. Eu aprendo muitas coisas com ela e brinco bastante com isso.

Já aconteceu alguma situação mais engraçada com a plateia durante o espetáculo?

Uma mulher pediu o namorado em casamento, porque disse que ele estava enrolando muito ela. Teve também um dia que o cara falou mal do prefeito e o prefeito da cidade estava na plateia (risos).

Serviço

Diogo Portugal – Antes
Que Eu Me Esqueça
Em Criciúma, 17/11, 21h
Em Florianópolis, 18/11, 20h
Local: Teatro Elias Angeloni (Avenida Santos Dumont, Paço Municipal, Criciúma) e Teatro Ademir Rosa – CIC (Avenida Gov. Irineu Bornhausen, 5.600, Agronômica, Florianópolis)
Quanto: A partir de R$ 67,20. Desconto de 50% para sócio do Clube NSC e acompanhante na compra do ingresso antecipado no
site Blueticket.

Veja outros espetáculos de humor em SC

Guri de Uruguaiana 2 – A Missão Quase Impossível
Dia: 11/11, 21h, Florianópolis
Após dez anos de sucesso, ele traz um show inédito para Florianópolis.
Local: Teatro Ademir Rosa – CIC (Avenida Gov. Irineu
Bornhausen, 5.600, Agronômica, Florianópolis)
Quanto: A partir de R$ 78,40. Desconto de 50% para sócio do Clube NSC e acompanhante na compra do ingresso antecipado no site Blueticket.

Stand Up Nói que é Pobre, com Cleber Rosa
Dia: 13/12, 20h, Florianópolis
Dia: 14/12, 21h, Balneário Camboriú
O humorista Cleber Rosa leva para os palcos o grande sucesso da Internet, seu personagem que faz reclamações bem humoradas em vídeos no Facebook e YouTube.
Local: Cinemark – Floripa Shopping (Rodovia José Carlos Daux, 3.116, Saco Grande, Florianópolis) e Cine Teatro Itália (Avenida Central, 335, Centro, Balneário Camboriú)
Quanto: A partir de R$ 67,20. Desconto de 50% para sócio do Clube NSC e acompanhante na compra do ingresso antecipado no site Blueticket.

Leia também:

“Dá pra fazer um humor crítico sem ser xenófobo ou homofóbico”, diz Caito Mainier, do Choque de Cultura