Neta de Martinho da Vila morre aos 14 dias com problema cardíaco

Filha do sambista Tunico da Vila e da jornalista Déborah Sathler, Madalena do Espírito Santo sofria da síndrome da hipoplasia do coração esquerdo

Tunico da Vila e Débora Sathler com a bebê Madalena (Foto: Instagram / Reprodução)

Com apenas 14 dias de vida, a netinha do sambista Martinho da Vila, Madalena do Espírito Santo, morreu neste domingo (6) devido a um problema cardíaco que havia sido diagnosticado ainda durante a gestação.

Filha do também sambista Tunico da Vila, filho de Martinho, e da jornalista  Déborah Sathler, Madalena sofria da síndrome da hipoplasia do  ventrículo  esquerdo, uma rara formação defeituosa no lado esquerdo do coração, quando  a maioria das estruturas é muito pequena e pouco desenvolvida (hipoplasia) para fornecer o fluxo de sangue suficiente para as necessidades do corpo.

Batizada em homenagem à canção Madalena do Jucu, de Martilho da Vila, o bebê havia nascido prematuro, aos oito meses, no dia 23 de dezembro, e passou por uma das três cirurgias, mas sofreu uma piora em seu quadro.

Os pais se manifestaram nas redes sociais sobre a morte da filha. Déborah escreveu:

“A dor na alma de segurar sua filha no colo sem vida é uma marca infinda, Maria! Recolha nossas lágrimas, angústia e aflição. Madalena do Espírito Santo foi uma honra ter vivido com você 14 dias. Tunico meu amor obrigada por ter tido você em todos os momentos. Equipe médica, Perinatal, Dr Jeferson obrigada por tudo. Amigos, doadores de sangue e afeto. Valeu a batalha! Os céus recebam minha filha Madalena, que é presente que cuidamos com tanto amor. Que assim seja! Amém! Até o reencontro minha menina ❤ Nós vamos dançar muito juntas, Madá! Agora volta pra casa minha filha e me espera #CoraçãodeDeus”,

Já Tunico se manifestou da seguinte forma:

” Madalena hoje chegou nos braços de Oxalá e disse:

– Oxalá meu pai, como uma abikú eu fui na terra cumprir a missão de receber meu nome de batismo que é Madalena do Espírito Santo Sathler Ferreira e foi o papai e a mamãe quem me deu.

Oxalá disse a ela:

– Seja bem vinda de volta Madalena, te amamos muito e pode deixar que eu vou consolar seu pai e sua mãe e saiba que deu a eles uma lição de vida e amor.

Te amo Madalena do Espirito Santo…Honrado demais por ser o seu pai… Obrigado Déborah por me dar a honra de ser pai de sua filha.

Madalena….Meu Kindim….Meu dedinho…meu amor…Pra Sempre Madalena!”