Novembro Azul: novidades sobre o diagnóstico e tratamento do câncer de próstata

novembro azul
Foto: Divulgação

A cada dia 42 homens morrem em decorrência do câncer de próstata e aproximadamente 3 milhões vivem com a doença, sendo essa, a segunda maior causa de morte por câncer em homens no Brasil. São estimados para este ano 68.220 novos casos, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca).

A Sociedade Brasileira de Urologia recomenda que os homens a partir da puberdade devem procurar um profissional especializado, para avaliação individualizada.

— Hoje, existe grande disparidade entre sociedades médicas a respeito do rastreamento para câncer de próstata. Podemos afirmar que existe consenso em recomendar início do rastreamento aos 50 anos para homens sem fator de risco e 45 para homens com história familiar. A periodicidade de um a oito anos dependendo avaliação de risco. Além disso, o mais importante é que deve-se avaliar se vale a pena continuar com o rastreamento em pacientes com câncer de próstata acima de 75 anos ou com expectativa de vida menor que 10 anos — alerta o urologista Lessandro Curcio.

 

Cuidados com a saúde do homem

Uma pesquisa realizada pela revista Saúde e o Instituto Lado a Lado pela Vida em agosto, com 2.405 homens, mostrou que 59% deles não costumam ir ao urologista. Entre os homens acima de 50 anos atendidos pela rede privada ou planos de saúde, 89% disseram já ter feito o PSA e 65% o exame de toque. Entre os atendidos pelo SUS, 45% nunca foram submetidos ao toque retal e 16% não fizeram o exame de PSA.

 

Diagnóstico

A próstata é uma glândula que faz parte do sistema reprodutor masculino responsável por produzir uma secreção fluida para nutrição e transporte dos espermatozoides. Situa-se logo abaixo da bexiga e à frente do reto, sendo atravessada pela uretra, canal que se estende desde a bexiga até a extremidade do pênis e por onde a urina é eliminada. O diagnóstico do câncer de próstata é feito exclusivamente através da biópsia da próstata.

Para indicar corretamente a biópsia, o urologista precisa levar em consideração vários fatores, dentre eles o toque retal. A finalidade desse exame é detectar qualquer alteração na próstata (endurecimento, nódulos) que possa estar relacionada com a presença do câncer. Apesar de desconfortável, é parte fundamental da avaliação prostática, servindo também para auxiliar na decisão da melhor forma de tratamento, caso o câncer esteja presente.

O PSA é o marcador mais utilizado no auxílio ao diagnóstico de câncer de próstata. Isoladamente, o PSA elevado não significa necessariamente que o indivíduo tem câncer de próstata, por isso a necessidade do toque retal.

 

Tratamento

O especialista aponta que o tratamento do câncer de próstata pode ser feito de três maneiras: observacional, radioterapia e cirurgia.

— Uma das técnicas que tem revolucionado o tratamento da cirurgia de próstata é a robótica. A cirurgia robótica atua para atender pacientes que precisam passar por procedimentos mais delicados, unindo tecnologia e conhecimento médico na busca por desfechos clínicos positivos. É uma grande aliada nos procedimentos cirúrgicos em que os espaços são limitados ou em que é necessário o detalhamento do órgão explorado. Entre os benefícios desta técnica, quando executada por cirurgiões experientes, estão o alto nível de segurança, maior precisão, incisões menores, menor sangramento, diminuição da dor, menor uso de medicações analgésicas, mínima chance de complicações pós-cirúrgicas e uma rápida recuperação do paciente com retorno precoce às atividades cotidianas — destaca o especialista.

Leia mais:

Novembro azul: câncer de próstata pode causar infertilidade

Novembro Azul: machismo e falta de conhecimento são barreiras para detecção precoce do câncer próstata