Fugindo dos clichês germânicos: nutricionista investe em gastronomia funcional

Chef Lidiane Barbosa - Foto Marco Favero
Chef Lidiane Barbosa – Fotos Marco Favero, Diário Catarinense
Em uma série de reportagens, contamos histórias de empreendedores do Vale do Itajaí que fugiram dos clichês e, com isso, estão renovando uma das regiões que mais cresce em Santa Catarina.

Energia Nutricional

Lidiane Barbosa, 38 anos, não nasceu na terra da Oktoberfest, do joelho de porco, do purê de maçã e do cachorro-quente com chucrute, alguns dos itens indispensáveis no que se refere ao clichê-germânico-gastronômico desta região do Estado.

Quando a santista chegou a Blumenau ela já tinha passado anos na faculdade de Direito, feito um intercâmbio na Espanha – destino que o pai acreditava ser para uma especialização na advocacia, mas foi na cozinha mesmo – e já não aguentava mais fugir de sua vocação: a gastronomia funcional.

— Eu já tinha essa relação com a cozinha. Na época da faculdade fazia jantares para os amigos. E sempre buscando uma cozinha mais saudável, fazendo umas trocas. Na época só existia o diet e o light — relembra, na sala de sua casa no Bairro da Velha. Lidi, como é conhecida, também busca na memória a lembrança mais remota da infância com as panelas, quando a avó Alice bancou um curso de gastronomia.

Na trajetória da hoje respeitada chef, há uma adolescência acima do peso, uma anorexia tratada a tempo e muita energia para levantar da cama todos os dias.

Veja essa e outra história de empreendedorismo que fugiu dos clichês

Chef Lidiane Barbosa, Fotos Marco Favero, Diário Catarinense
 – Já estava casada e duas filhas quando viemos morar em Blumenau. Cheguei aqui e decidi que ia mergulhar nessa área como nunca. Matriculei as meninas na escola e fui para o Sebrae, queria abrir um restaurante de comida saudável. As pessoas diziam: ‘ninguém vai comer sua comida. Aqui não vai funcionar’ – conta, às gargalhadas, sabendo que hoje, em qualquer canto do mundo, há um bom número de pessoas preocupado com o que come.

Gastronomia saudável

Para saber se estava no caminho certo, pegou o telefone e ligou para 10 nutricionistas da cidade. Duas lhe concederam mais do que cinco minutos. Daí em diante, foi buscando cada vez mais especialização na área, no Brasil e fora dele.
– Eu precisava entender o que era o saudável. Fiz uma pós-graduação e também criei uma parceria com um dos maiores institutos de alimentação funcional do país, o que me muniu de muito conhecimento, pois acabei assistindo muitas aulas, fiz muitos cursos. Neste momento eu era aquela pessoa que ia na casa das pessoas ensiná-las a cozinhar melhor. O negócio foi um sucesso. Neste momento as lojas de produtos naturais começaram a abrir as portas aqui, em Floripa, em Joinville.
A gastronomia funcional usa técnicas dietéticas para criar receitas que vão além do sabor, dando aos alimentos a função de contribuir para a manutenção da saúde além de também prevenir doenças.
O próximo passo foi partir para os workshops, cada vez mais lotados, e, consequentemente, as consultorias em restaurantes, já são 17 no país todo, além de parcerias com empresas de diferentes tamanhos. Há até um livro infantil nesse caminho, com histórias e receitas para as crianças. A novidade – sim, ela não para, seus olhos brilham a contar cada novo projeto – é a participação da filha Maria em alguns projetos.
– Ela está sendo contratada para dar aula comigo. Ela gosta muito, tem o dom – finaliza, num tom emocionado, meio assim, quase de herança, antes da sessão de fotos. – Eu poderia ser somente uma fazedora de receitas, mas as pessoas me respeitam por algo mais, pelo meu conhecimento, sou incansável, odeio ficar na mesmice.