Olhar mais atento aos obstáculos do dia a dia

Foto: Marco Favero Desing: Leonardo Gomes da Silva

Hoje escrevo para vocês com um olhar mais atento, porque lendo a história do Ângelo e da Angra, contado pelo repórter Marcone Tavella, conheci mais sobre as dificuldades que os cegos enfrentam com os obstáculos do dia a dia. Mas, principalmente, entendi a diferença que os olhos dos companheiros caninos fazem na execução das mais corriqueiras tarefas.

Mas o encontro dele com a cão-guia Angra só foi possível graças ao trabalho desenvolvido pela Escola de Cães-Guias Helen Keller, em Balneário Camboriú. O espaço tornou-se referência internacional, formou 23 duplas de cegos e cães-guias, criou um programa genético promissor e liderou a implantação do programa federal de formação de cães-guias e instrutores oferecido atualmente pelo Instituto Federal Catarinense, também no Litoral Norte. Que grande trabalho, que grande exemplo de como transformar a vida de quem não enxerga!

Por falar em duplas, em companheirismo, hoje temos uma convidada para compartilhar com o nosso colunista Sandro Clemes a página voltada ao design, à arquitetura e à arte: Emanuella Wojcikiewicz. Como eles bem trazem, você vai ver lá na página 12, o momento é de agir em coletivo, criar em conjunto, cooperar, ter consenso. Tudo com cuidado, com carinho no desenvolvimento. Gostou da ideia? Então não perde a coluna da Vanessa Tobias! Um empurrão para vencer o básico, fazer aos poucos, e ganhar energia para os grandes obstáculos da vida.

Boa leitura!