Artista plástico comemora sucesso do ovo de Páscoa gigante de Pomerode

João Siqueira, que chegou a dormir dentro do ovo durante a execução, conta que a obra foi a mais desafiadora nos seus 37 anos de carreira

Foto Camille Reis/Diário Catarinense

O fim de semana é de Páscoa e a cidade de Pomerode se destacou novamente como destino turístico com suas ruas decoradas e a Osterfest. A festa resgata as tradições germânicas e já era conhecida pela maior Osterbaum do mundo, árvore que tem mais de 100 mil casquinhas de ovos pintadas. Este ano a grande atração, enorme na verdade, foi um ovo decorado com mais de 15 metros de altura e quase nove de largura.

A obra de arte, já reconhecida pelo Guinness World Records, o livro dos recordes, como o maior ovo decorado do mundo, foi resultado do trabalho cuidadoso e dedicado do artista plástico e escultor João Siqueira. A partir de um modelo desenhado pela artista Silvana Pujol, Siqueira projetou a réplica gigante que virou ponto obrigatório para fotos na cidade. Foram quase dois meses de trabalho para deixar o ovo pronto. “Fizemos em tempo recorde. Cheguei a dormir oito dias dentro do ovo para dar conta de terminá-lo”, conta.

Aos 52 anos, o morador de Santa Catarina tem no currículo trabalhos de peso como o realizado no hotel Ariaú Amazon Towers, um dos maiores hotéis de turismo de selva do mundo, e na execução de cenários de filmes como Anaconda. Siqueira é ainda responsável por esculturas nos carros alegóricos da Oktoberfest e decoração de Natal na região do Vale, além de atuar com escolas de samba do Rio Grande do Sul e do Uruguai.

Foto Camille Reis/Diário Catarinense

Qual foi a maior dificuldade na construção do ovo gigante?
Acho que foi realizá-lo em tempo recorde. É um trabalho que levaria de quatro a cinco meses para fazer e fizemos em menos de dois meses. Eu cheguei a dormir oito dias dentro do ovo. Nosso objetivo com a obra era atrair os turistas, mas também valorizar a cultura germânica, por isso utilizei como modelo uma pintura da Silvana Pujol, uma artista que tem tradição na pintura de casquinha de ovos, e fizemos em escala gigante.

Foi o maior desafio da sua carreira?
Sim, já fiz muitos trabalhos para escolas de samba, carros alegóricos, tenho trabalhos comercializados no mundo todo, esculturas e pinturas gigantes, mas esse foi com certeza o maior desafio pelo tamanho da peça e pelo tempo.

Com que materiais você trabalha?
Minhas especialidades são esculturas em EPS e fibra de vidro, esculturas e entalhes em madeira, pinturas artísticas de várias temáticas em quadros, murais, paredes internas e externas, grafites , confecção de maquetes. Sempre trabalhei com artes na área de turismo internacional e turismo de eventos. Através do turismo tive a oportunidade de divulgar e comercializar meu trabalho por vários países do mundo.

Foto: Jaime Batista da Silva, Arquivo Pessoal

Agora o trabalho será desmontar o ovo. Mais fácil né?
Vai ser mais rápido com certeza!

Qual o próximo desafio?
Ainda não posso contar, mas temos um projeto grandioso também para Pomerode, sempre com a ideia de atrair o turista para essa região do Vale Europeu, que é uma região maravilhosa e que eu amo muito.

Assista ao vídeo com a entrevista:

Leia também:

Conheça mulheres que realizam a maior festa de Páscoa de Santa Catarina

Grife Acostamento começa a ser produzida em Santa Catarina

É preciso estimular a criatividade em casa, no trabalho e nas escolas