Com bom-humor, Padre Marcelo Rossi fala em novo livro sobre depressão e ansiedade

Nesta entrevista, sacerdote, que estará em São José para autógrafos, conta todos os detalhes sobre a obra

Foto: Cauê Moreno/Divulgação

Na próxima terça-feira, 31, o padre Marcelo Rossi estará em São José para o lançamento do seu novo livro, Metanoia. O evento será no Continente Shopping, a partir das 11h. A obra trata de uma forma bem-humorada sobre a conectividade de nossos tempos. O sacerdote, que em 2013 foi diagnosticado com depressão, hoje comemora cinco anos longe dos sintomas que, para a Organização Mundial da Saúde, podem atingir o topo da lista das causas de doenças no mundo.

Ao longo do livro, Rossi fala sobre relacionamentos, provações, a força dos pensamentos e como não podemos nos deixar influenciar pela negatividade. O sacerdote respondeu por e-mail perguntas sobre o enredo do livro, o período de depressão e sua aproximação dos jovens. Confira:

O que é metanoia? Por que escolheu este nome para sua nova obra?
“Metanoia” significa uma transformação radical da pessoa. Portanto, uma mudança totalmente do seu hábito. É uma palavra grega e eu tirei em Romanos, capítulo 12, versículo 2: “Não vos conformeis com esse mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente”. Escolhi porque, mais do que nunca, nós vivemos em um mundo de ansiedade. A metanoia (o objetivo do livro) é levar a pessoa a se livrar da ansiedade, que pode levar à depressão, ao estresse e a tantos outros males. Portanto, ela é a causa, não consequência, de diversos males.

Esta obra traz um pouco do seu processo de transformação pessoal?
Com certeza. Eu quero poder ajudar várias pessoas com a minha experiência. Ela é mística – quando digo mística, é algo que transcende. Eu levo a pessoa a entender “O que nós somos”. Somos um em 7 bilhões de pessoas, em um planetinha chamado Terra, em um sistema solar, num universo que é infinito, e há um Deus que nos ama profundamente e que quer nos tocar profundamente. Esse é o objetivo do livro: abrir o horizonte dessa pessoa. O meu horizonte e o de todos.

Um dos temas do livro é como não podemos nos deixar influenciar pela negatividade. Para você, que já passou por um quadro de depressão, como é lidar com esse assunto?
É incrível, nosso QI é como se fosse a ponta de um iceberg. Um iceberg é um oitavo da ponta do gelo que está sendo tocado. Portanto, nós não usamos nem um décimo da nossa capacidade intelectual. Isso aqui é uma passagem, portanto, essa é a nossa fé cristã católica. Eu quero, com a Metanoia, levar pessoas a compreender que Deus criou o mundo pela palavra. João, início do Evangelho: “No início era palavra, a palavra era Deus e a palavra estava com Deus. E a palavra se fez carne”. Tudo isso por amor. Portanto, o filho de Deus se fez carne. O próprio Senhor nos diz a importância da fé, e de crer naquilo que estamos falando. Penso que irá influenciar completamente a minha vida.

Como trata a questão da conectividade de nossos tempos com a ligação das pessoas com a fé?
Eu usei o termo Wi-Fé (para comparar com o Wi-Fi, todos sabem que é um receptor que não precisa de cabo para se conectar e navegar à vontade na internet). Só que o Wi-Fi tem senha e conforme o número de pessoas usando, menos velocidade. Tem horas que é melhor você ficar no seu 4G, onde a velocidade pode ser mais rápida do que o Wi-Fi. No Wi-Fé não, quanto mais, melhor! É isso que eu quero mostrar. Cem velas iluminam, mil muito mais. E um milhão? Mais ainda. E é o que o próprio Jesus fala: pessoas conectadas e unidas em oração.

Você citou em entrevistas que em determinado momento chegou à conclusão que deveria estar mais perto dos jovens. Este livro, que trata de forma bem-humorada a conectividade de nossos tempos, tem como objetivo atingir mais esse público?
Aos jovens, eu me comprometi a voltar. Eu nasci junto com a Renovação Carismática Católica, literalmente. Ela surgiu em 1967 nos EUA, em fevereiro. Eu nasci em maio. Meus pais foram um casal piloto da Renovação Carismática, portanto, eu nasci dentro desta espiritualidade. Então, prometi nesta volta da depressão ajudar mais na Renovação Carismática e, com carinho, atingir mais os jovens. Neste milênio, meu foco mudou um pouquinho. Tenho que falar com a pessoa de até 30 anos.
Eu digo até 30 anos, porque o que eu vejo de jovens que acabam se arrependendo de coisas que fizeram na fase dos 14, 15, até os 30 anos. E a palavra pecar, se você pegar no dicionário, também é errar o alvo. E quantas pessoas já erraram o alvo? Eu mesmo, antes de me encontrar com Deus, quantas vezes errei o alvo. Aquilo que eu planto eu vou colher, por isso a importância de atingir os jovens. Lembrando que eles são o futuro, né? Mais do que nunca eu quero, sim, atingir os jovens. Por isso, usando muito as redes sociais e querendo aprender. Detalhe, não sou o dono da verdade, mas quero levar e compartilhar – essa palavra eu acho muito linda na rede social. Compartilhar é mais. Exemplo: não só dividir aquilo que eu tenho, mas é comer junto com a pessoa, ou chamar a pessoa para estar comendo junto comigo. E é isso que Jesus quer, essa é a proposta da fé.

É um livro de religião ou de autoajuda?
Com certeza é um livro de religião, no sentido mais profundo da palavra, que é religar. O que é religião? É a ligação do homem com Deus. Esse livro não é de autoajuda, é um livro religioso, que não deixa de ser, também, de autoajuda, porque a partir do momento que eu me encontro com Deus, eu estou me ajudando. Que Deus abençoe a todos.

 

Serviço
O quê: lançamento do livro “Metanoia” (assinatura da obra, bênçãos e fotos com o padre Marcelo Rossi)
Quando: 31 de julho (terça-feira), a partir das 11h
Onde: Continente Shopping, no estacionamento
Quanto: para ter acesso ao sacerdote é necessário ter a obra em mãos, que está à venda na Livrarias Catarinense do Continente Shopping por R$ 24,90. O atendimento será feito por ordem de chegada.