Pela primeira vez, Carnaval de Florianópolis terá ala de passistas plus size

Mais do que desfilar juntas, as componentes do grupo que estreia na Nego Quirido neste fim de semana criaram uma rede para apoiar umas às outras

No grupo são 30 mulheres e um muso. Foto: Tiago Ghizoni

A frase “Sai daí, sua gorda, vais quebrar o carro”, mudou o Carnaval de Monique Heloisa da Luz. Hoje aos 32 anos e com dois filhos, a coordenadora da ala de passistas plus size da escola de samba Consulado — a primeira do Carnaval de Florianópolis — desfilava em 2010 em um carro alegórico quando passou perto dos camarotes e escutou o xingamento de outra mulher.

— Essa frase acabou com meu desfile. Foi o último ano que saí mostrando meu corpo, depois eu procurei alas mais cobertas, me escondia. Tomei remédio para emagrecer e acabei parando no hospital.

Foto: Tiago Ghizoni

A cabeleireira sempre gostou de Carnaval. Ela acompanha a escola desde muito nova, quando ia aos ensaios com os pais. Sempre desfilou como passista, mas depois das duas gestações e alguns quilos extras, ela não se enxergava mais pertencendo aquele grupo. Foi então que, em uma conversa com outras mulheres e com o presidente da escola, resolveu criar o grupo de passistas plus size.

Leia também:  Carnaval: quase 30 eventos com desconto para curtir a festa em Santa Catarina

Uma postagem no Facebook da agremiação foi o suficiente para reunir um grupo de 30 mulheres e um muso, já com uma lista de espera com 15 nomes, e com projeto de estender a ala no próximo ano para 50 pessoas.

— Conversando com outras meninas, vi que elas também tinham essa vontade de sair como passistas, mesmo fora dos padrões. E porque não criar uma ala de passistas gordinhas onde ninguém vai olhar com os olhos do preconceito? Vai olhar sabendo que tem celulite e tem gordurinha. Vai olhar com a certeza que é uma afirmação, que a gente pode e ponto — conta a cabeleireira.

No Whatsapp, o grupo em combinam os ensaios é intitulado de “Poderosas”, e serve mais que somente para agendar o encontro das passistas: ele é também uma forma que encontraram de se ajudar.

— Não usamos só para falar sobre a escola. É um grupo de ajuda mesmo. Se alguma não está bem naquele dia, a gente tenta acalmar. Muitas meninas tinham vergonha de sair com shortinho, de biquíni, e hoje já saem. Uma ajuda outra. Estamos sempre ali dizendo: “tu podes, tu consegues” — comenta Monique.

A paraense Paola Franco Passos, de 28 anos, é uma das passistas e sempre sofreu muito por estar acima do peso. Embora nunca tivesse gostado muito de Carnaval, achou no grupo a possibilidade de autoaceitação e de apoio no processo de autoconhecimento.

A passista paraense Paola Franco Passos. Foto: Tiago Ghizoni

— Quando eu era criança, sempre fui incentivada a emagrecer. Venho de uma família onde todos eram magros, e sempre teve essa pressão. Passei uma vida inteira fazendo dieta porque a minha família achava que eu estava gorda e que eu precisava emagrecer para encontrar alguém ou para ser mais feliz — relembra Paola.

O processo de autoaceitação começou há uns três anos, quando ela mudou de Belém do Pará para Santa Catarina. Num primeiro processo, ela, que também alisava o cabelo, raspou a cabeça e aceitou os seus cachos naturais. Foi nesse momento que conheceu a coordenadora da ala de passistas, Monique.

— Logo que começamos a ensaiar já percebi que eram meninas e mulheres como eu, que têm o mesmo problema de aceitação, que estão ali buscando esse amor próprio. É muito difícil, porque aquelas lembranças da cobrança da minha família marcaram muito a minha vida. Mas hoje eles me apoiam, na verdade foram obrigados a me aceitar, porque hoje em dia eu me aceito do jeito que eu sou — conta Paola, que se diz muito feliz e acrescenta que hoje a preocupação da sua família é com a sua saúde.

— Até rola ainda uma cobrança da minha família, mas é mais por uma questão de saúde, mas fiz um check up e estou ótima. Eu me exercito com as meninas e estou muito feliz. Estamos todas muito felizes com essa oportunidade — completa Paola.

Foto: Tiago Ghizoni

A ala de passistas pluz size de Florianópolis desfila na passarela Nego Quirido neste sábado, dia 3. A escola de samba Consulado será a penúltima a entrar na avenida. A previsão é de que o desfile comece às 3h30min.

Leia também:

Body Positive: Moda verão plus size inclui conforto, casualidade e aceitação do próprio corpo