Ligado nas redes e atento às tendências: Pesquisa mostra o perfil do consumidor de moda em SC

Influenciadores digitais (38%) e especialistas em moda (37%) são as principais referências citadas pelos pesquisados quando se trata de tendências de moda

Foto: Marco Favero

A moda é um setor amplo, com uma cadeia produtiva extensa que envolve comércio, indústria e serviços. Santa Catarina é um dos estados que mais se destacam no cenário nacional têxtil e de confecção. Para entender como o consumidor catarinense se posiciona diante de novas tendências de moda, o Sistema de Inteligência de Setorial (SIS) do Sebrae desenvolveu uma pesquisa inédita para conhecer os hábitos de consumo de moda no estado. O estudo foi realizado em formato de questionário online, com 15 questões específicas sobre o lançamento constante de novas tendências.

A grande maioria das respostas veio de mulheres (79%), mas isso não significa que moda para homens é algo que pode ser deixado de lado. Trata-se de um mercado em expansão: movimentou cerca de US$ 20 bilhões no Brasil em 2017. Das pessoas ouvidas, 36% têm entre 18 e 29 anos. Esta faixa etária é categorizada como pertencendo à Geração Z, que tem como características: multitarefas, éticos, valorizam a verdade e são nativos digitais.

Em segundo lugar (34%), está a faixa etária de 30 a 39 anos, pessoas que fazem parte da Geração Y, conhecida também como millenials. Esse público é questionador, tem interesse em experiências, gosta de viagens e festivais, está sempre conectado e usa muito as redes sociais. Mais de 60% dos participantes da pesquisa ganham acima de R$ 1.874,01, o que representa oportunidades para os negócios de moda de Santa Catarina.

Comportamento geral do consumidor e tendências de moda

Os consumidores catarinenses, de uma forma geral, gostam de se manter atualizados e buscam comprar o que está na moda (79,24%). Quando segmentado por gênero, verificou-se uma pequena diferença, visto que homens tendem a considerar um pouco mais os fatores antes de uma compra, do que as mulheres.

A maioria dos consumidores catarinenses ainda realiza compras em lojas presenciais de varejo (37,78%) e em lojas de departamentos (27,83%). Embora a compra online não seja a primeira opção, ela é um mercado crescente, e que atualmente já representa 21,54% das compras no mercado da moda.

Das pessoas que responderam, 68% afirmam que acompanham tendências, o que significa que provavelmente buscam comprar produtos que estão na moda. Ao segmentar por faixa etária, verifica-se que o público entre 18 e 29 anos (38,41%) é o que mais acompanha as tendências de moda, seguido pelos de 30 a 39 anos (33,56%).

Os consumidores de moda estão atentos às tendências que surgem no vestuário (49%), seguido pelos calçados (31%) e acessórios (20%). Quando segmentado por faixa etária, verifica-se que o público de 18 a 39 anos é o mais atento à moda, independentemente do segmento, o que representa 70,88% dos consumidores que seguem as tendências.

Principais referências

Influenciadores digitais (38%) e especialistas em moda (37%) são as principais referências citadas pelos pesquisados quando se trata de tendências de moda. O público ouvido também acompanha fontes especializadas, como blogs e bureau de tendências, vitrines de lojas, televisão, séries e propagandas.

A Geração Z (18 a 29 anos) tem como maior referência os influenciadores digitais (55,34%). Blogueiras de moda, celebridades da internet e youtubers famosos são alguns exemplos. Já a Geração Y (30 a 39 anos) tem como principal referência os especialistas em moda (40,40%), que incluem personal stylists, estilistas e profissionais da área.

O público com idade entre 40 e 49 anos é o que mais fontes de referências de moda, como especialistas em moda (23,23%), amigos (21,74%) e celebridades (18,52%). O público de 50 a 59 anos se destaca ao informar que a família é a sua principal referência de moda (40%).

Meios para acompanhar tendências

Os consumidores se mantêm atualizados nas tendências de moda ao consultar informações em diversos meios. O mais popular é o Instagram (26,88%), seguido por blogs de moda (13,33%) e sites das marcas que o consumidor já utiliza (12,51%). Outros meios além dos citados também são consultados, como Pinterest (60%), catálogos (20%), vitrines e observações do cotidiano.

A maioria dos meios citados está associada à internet, mostrando que o consumidor catarinense está conectado. Em um contexto brasileiro, verifica-se que 66% da população tem acesso à internet e 62% são usuários ativos de mídias sociais. Dos que acessam à internet, 85% o fazem diariamente. Independentemente do equipamento, o tempo gasto na internet é de mais de 9 horas por dia.

Leia também:

Vista a primavera: saiba quais são as tendências na moda para a nova estação