Regido pelo planeta Marte, 2019 favorecerá a iniciativa, a conquista e a sexualidade

Determinação do planeta regente do ano segue tradição astrológica dos antigos caldeus

Foto: Pixabay

Segundo a astróloga Virginia Gaia, o ano de 2019 promete ser de grandes começos para quem tiver atitude. Isso porque o seu regente, de acordo com a astrologia caldaica, será o planeta Marte. Patrono da guerra e do impulso sexual, Marte é conhecido por ser o grande ativador do céu, responsável pela iniciativa e pelo impulso individual em direção às conquistas da vida.

A influência do regente do ano é sentida coletivamente, não afetando signos solares ou mapas astrais individuais. De qualquer forma, ela permeia os ânimos da sociedade e aponta quais serão os grandes temas ao longo dos próximos 12 meses. Assim, com a regência de Marte, podemos esperar que, na busca por objetivos, teremos o ímpeto de realizar com muita energia, o que pode acabar gerando conflitos e discussões. Ou seja: 2019 será um ano agitado.

Leia também: Astrologia: confira a previsão para cada signo em 2019

A regência anual de Marte deve ser analisada no contexto dos demais trânsitos planetários. A passagem de Júpiter pelo signo de Sagitário, Saturno em Capricórnio e o ingresso de Urano em Touro, por exemplo, colocam em evidência as discussões ideológicas, mudanças no âmbito do poder e dos governos e a relação das pessoas com o dinheiro.

A determinação do planeta regente do ano segue um cronograma cíclico determinado desde a Mesopotâmia, terra dos antigos caldeus. Povo semita de grande influência na formação cultural da humanidade que nos legou maravilhas arquitetônicas, como a Torre de Babel, os caldeus também se tornaram famosos por seus estudos astrológicos, que influenciaram inúmeros sistemas mágicos ao longo da história.

A regência por Marte se dá pelo fato de 2019 ser o terceiro ano de um ciclo de 36 anos regidos pelo planeta Saturno que teve início em 2017. Assim, sentiremos uma diferença substancial em relação a 2018, ano cujo regente foi o expansor Júpiter. Pode-se dizer que saímos de um ciclo marcado por grandes ideais para a consolidação de planos de longo prazo e estamos entrando em um ano que será marcado pela vontade de realizar e brigar por ações efetivas em direção à concretização de objetivos e sonhos.

Leia também: Qual o presente ideal para cada signo? Confira dicas de acordo com a astrologia

A sequência dos planetas regentes dos anos é estabelecida com base na Estrela dos Magos, também conhecida como Estrela Setenária, que tem em cada uma de suas sete pontas o que, para a Astrologia, representam planetas que podem ser vistos a olho nu: Sol, Lua, Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno.

Apesar da designação do planeta regente não ser adotada por todos os astrólogos, ela é especialmente popular entre aqueles que seguem uma abordagem ocultista dessa técnica milenar. Um dos astrólogos mais influentes no estudo da Astrologia Caldaica foi, sem dúvida Walter GornOld, mais conhecido por Sepharial, nome que escolheu como pseudônimo com base na linguagem angelical e nos seus estudos do alfabeto enoquiano.

A sequência de planetas dispostos na Estrela Setenária é especialmente importante para a determinação, para além dos anos, dos dias e dos horários planetários, sendo largamente utilizada em sistemas mágicos de escolas famosas na formação do pensamento ocultista no Ocidente, como a Sociedade Teosófica e a Ordem Hermética da Aurora Dourada. Do ponto de vista ocultista, a regência de Marte traz a grande oportunidade do exercício pleno da Vontade, mesmo que isso venha a causar alguma tensão entre as pessoas.

Para 2019, vale, então, a máxima de amar sob vontade sem perder de vista que o direito à individualidade é de todos e merece todo o respeito. Façamos do novo ano um ciclo de luz, vida, amor e liberdade!