Primeiros socorros nos pets: saiba como agir

Nesses momentos, manter a calma e ter noções básicas de primeiros socorros fazem toda a diferença

Foto: Cão.com/Divulgação

Assim como o homem, os pets podem passar por situações de emergência, o que deixa muitos tutores em pânico. Nesses momentos, manter a calma e ter noções básicas de primeiros socorros fazem toda a diferença.

— As providências iniciais, antes de levar o pet à emergência veterinária, muitas vezes são a diferença entre a vida e a morte — afirma o médico veterinário Luciano Granemann e Silva, sócio-proprietário da Clínica e Hospital Veterinário 24h Cão.Com, em Florianópolis.

É importante ter em casa um kit de primeiros socorros para situações de emergências. Segundo Luciano, os itens mais comuns e indispensáveis são: água oxigenada, algodão, gaze, antisséptico, medicamento para vômitos (Plasil), limpeza dos ouvidos (ceruminolíticos), analgésicos e um probiótico.

— Todo medicamento só deve ser utilizado após recomendação expressa do médico veterinário, citando a dose, frequência e o modo de administração — enfatiza o veterinário.

Principais emergências: como agir em cada caso

Convulsão: proteger o animal, principalmente a cabeça, para que ele não se machuque enquanto se debate, e garantir que consiga respirar livremente.

Envenenamento e intoxicação: provocar o vômito com água morna salgada.

Problemas cardíacos: verificar o status da medicação dele, oferecer imediatamente a ventilação adequada e buscar ajuda veterinária.

Hipertermia: resfriar o animal ligando o ar-condicionado no máximo e, eventualmente, banhá-lo. Assegurar ambiente bem ventilado e procurar ajuda veterinária o quanto antes.

Hemorragia: estancar comprimindo o local com um pano limpo e resfriá-lo.

Atropelamento: tentar se aproximar do animal com cuidado e imobilizá-lo com uma toalha com o intuito de evitar perda de sangue excessiva.

Trauma por briga com outro animal: conter hemorragias, limpar as feridas e imobilizar em caso de suspeita de fratura.

Queimadura: manter a ferida úmida e resfriar com gelo. Uso de analgésicos e antibióticos conforme orientação veterinária.

Picada de cobra ou aranha: aplicar torniquete e tratar a ferida com antissépticos. Obrigatório levar ao veterinário.

Desmaio: assegurar-se de que o animal está respirando e protegê-lo para não se debater ou machucar ao acordar.

Para mais informações, fale com a Cão.com:  (48) 3234-2480/3025-2203

Leia também:

Cães e gatos também doam sangue: saiba como é o procedimento entre pets