Qual o vinho ideal para a ceia de Natal? Saiba como harmonizar

A primeira regra básica é: vinhos locais vão com comidas locais

vinho na ceia
Foto: Divulgação

Vinho branco com carnes brancas e vinhos tintos com carnes vermelhas. Essa é a regra popular, certo? Mas será só isso? Geralmente é a comida que impacta no sabor do vinho, e não ao contrário. Existem inúmeros fatores que devem ser levados em conta na hora de harmonizar vinhos e refeições. Vamos explicar de forma rápida e prática alguns detalhes que vão transformá-lo em um expert na arte da harmonização.

A primeira regra básica é: vinhos locais vão com comidas locais. Por isso, vinhos italianos harmonizam com pastas e pizzas, vinhos franceses com carnes, pratos à base de manteiga e queijos, e vinhos espanhóis com paella, por exemplo.

Agora, vamos enumerar alguns fatores importantes na hora da harmonização:

1 – Os vinhos devem conter mais açúcar que os pratos. O açúcar contido nos alimentos aumenta a percepção de amargo, adstringente, acidez e também o efeito de calor que o vinho produz. Do contrário, diminui a percepção de corpo, doçura e frutado que o vinho possa a oferecer. Para contrabalancear estes efeitos, usamos vinhos extremamente doces em sobremesas, como vinhos fortificados estilo Porto, colheita tardia ou afetados por Botrytis.

2 – Comidas com alta acidez exigem vinhos de alta acidez. A acidez nos alimentos aumenta a percepção de corpo, doçura e de frutado nos vinhos e diminuiu a percepção do ácido. Uma comida muito ácida, exemplo das preparadas com molho de tomate ou limão, pede um vinho com alta acidez, caso contrário seu vinho vai parecer água. Vinhos brancos e tintos de regiões frias têm maior acidez.

3 – Comidas amargas devem ser consumidas com vinho de baixo teor de taninos.
O amargor das comidas eleva a percepção de amargor dos vinhos, ou seja, nunca prove comidas amargas com vinhos encorpados, escolha sempre um Beaujolais, Pinot Noir ou os brancos. Exemplo de alimentos considerados amargos: café, azeitonas, molhos a base de laranja e limão e creme azedo.

Com estes 3 tópicos em mãos, você já pode começar a entender sobre harmonização. Leve em consideração também que:

  • O sal é amigo do vinho. Comidas salgadas realçam algumas características importantes da bebida;
  • A combinação de vinhos bastante ácidos e comidas gordurosas ou oleosas é considerada prazerosa;
  • Comidas apimentadas geralmente devem ser harmonizadas com vinhos brancos ou tintos leves, com baixos taninos.

Agora que você já é um expert em harmonização, vamos aos vinhos indicados para cair bem com o peru de Natal.

  • Chardonnay: Não importa de que região, o bom e velho Chardonnay, não tem como dar errado com sua ceia. Lembrando que Chardonnay do velho mundo, como o francês, tende a ser ligeiramente mais rico em minerais e cítricos, enquanto os do Novo Mundo, como USA e Austrália, tende a ser mais frutado, puxando para frutas com caroço.
  • Pinot Noir: Um dos vinhos mais versáteis na mesa, escolha um Pinot da Califórnia e terá o seu tinto para o jantar.
  • Beaujolais: Como percebem, escolhemos vinhos mais baixos em taninos, mas que mantenham uma acidez alta, assim como os Beaujolais, produzidos com a uva Gamay.

Para uma noite especial, sugerimos começar com um Beaujolais Nouveau e terminar com um Cru Beaujolais. Aprenda mais sobre Beaujolais aqui.

E existe uma outra uva que não vamos dar as características, será o vinho misterioso, mas que pode ser a estrela da noite. Se quiser provar algo diferente, busque por um vinho 100% Viognier, prove com o Peru e tire suas próprias conclusões.

Lembrem-se, a comida afeta o vinho e não o contrário, então cuidado com nosso precioso líquido. Feliz Natal, Salud!

Leia também:

Alô, veganos! Vocês sabiam que a maioria dos vinhos franceses leva ovo?

Leia mais colunas de Loco Por Vino