Divulgado os atores selecionados para o Rally Universitário Floripa 2018

rally universitario
Foto: Reprodução / Youtube

Foram dois dias de testes no Teatro da UFSC e mais de 80 atores participaram da seletiva do Rally Universitário Floripa. Cinco atores foram selecionados para participarem como principais e mais 10 estão destacados para o book de elenco.

O Rally Universitário Floripa tem o objetivo de incentivar e promover a atividade de produção cinematográfica e o intercâmbio de conhecimento. O desafio cinematográfico em que 25 estudantes do mercosul produzem um curta-metragem de até cinco minutos em 100 horas de produção contínua durante a realização do Florianópolis Audiovisual Mercosul.

O FAM 2018, é realizado entre os dias 19 a 24 de junho no Centro de Cultura e Eventos da UFSC. Consolidado entre um dos mais importantes Festivais da América Latina, o FAM chega em 2018 com uma agenda extensa de atividades. Entre elas, a do Fórum Audiovisual Mercosul, do Rally Universitário Floripa e, destaque também, para o Encontro de Coprodução do Mercosul, que terá a participação de 10 players, entre eles seis canais de televisão: Globo News, Canal Brasil, Canal Fox , Box Brasil, Woohoo e Cine Brasil TV.

Confira mais detalhes sobre a programação

 

rally universitario
Atores selecionados para o Rally Universitário Floripa 2018 Foto: Divulgação

 

Lista dos Atores Selecionados: 

Arthur Ardino Dobler
Aryelle Palma
Dayane Ros
Gabriel Guaraciaba
Mariana Rotil

Book de elenco:
Igor Gomes
Ismael Loch
James Ribeiro
Jerusa Mary
Jocasta Germano
Marcos de Oliveira
Maria Cristina Fabi
Mariana Barreiros
Pitita Blasius
Thais Araujo

Cronograma de atividades:
– Dia 19 de junho: Indicação do grupo de filmagem dos protagonistas
– De 19 a 21 de junho: Período de possível integração dos atores do videobook.
– Dias 20 e 22 de junho: Ensaio das cenas e gravação
– Dia 24 de junho: Exibição do filme e premiação

Leia também: 

Festival Varilux 2018: política, feminismo e homofobia em alta nos filmes franceses

O cinema como experiência coletiva jamais irá morrer, diz o crítico Celso Sabadin