Férias: revise o carro antes de viajar e economize com o Clube NSC

Foto: Marco Favero

Janeiro + verão + férias formam o combo perfeito para quem quer pegar a estrada e curtir momentos de lazer e descanso. Sendo assim, evitar riscos e inconvenientes com o carro durante o trajeto é fundamental. Preparamos uma lista de itens importantes a serem checados antes de viajar, mesmo para quem segue a rotina de manutenção recomendada pela fábrica. No entanto, é importante ficar atento ao prazo. A revisão não deve ser feita na véspera, já que pode haver necessidade de substituição de alguma peça.

– O ideal é fazer essa revisão com uma semana de antecedência ao dia da viagem. Se for necessário trocar itens como pastilhas de freio, por exemplo, é fundamental que haja um tempo de acomodação das peças à estrutura original do carro para que a frenagem ocorra da maneira ideal. Esse processo de assentamento das pastilhas demora de dois a três dias para ser efetivo – explica Henrique Berri, gerente da Eurocar Centro Automotivo, parceiro do Clube do Assinante de Joinville.

Confira os itens a checar, além de dicas de profissionais do segmento e alguns dos descontos do Clube do Assinante em serviços automotivos.

Pneus
De acordo com a Resolução 558/80 do Código Nacional de Trânsito, os sulcos dos pneus devem ter no mínimo 1,6mm de profundidade. Eles são essenciais para a correta drenagem na banda de rodagem em caso de chuva, evitando a aquaplanagem. Também é necessário checar a pressão de todos os pneus e observar a quantidade de passageiros e bagagem que o carro irá transportar, pois quase todos os modelos exigem pressões diferentes.

– Essa é a medida limite do pneu, porém, testes comprovaram que com 3 mm de borracha o carro já pode aquaplanar a uma velocidade superior a 100 km/h em condições de chuva. Se houver bolhas, substitua imediatamente a unidade, pois esse é um indício de dano estrutural irreversível. Caso seja possível trocar apenas dois pneus e manter os que estiverem em melhor estado, coloque os mais conservados no eixo traseiro, e não no dianteiro, como a maioria das pessoas pensa. Se estiver chovendo, ao entrar em uma curva com água na pista, os dianteiros vão segurar a frente do carro, mas a parte de trás não dará vazão suficiente à água e pode rodar. Além disso, os pneus dianteiros costumam desgastar mais rápido que os traseiros – explica Ciro Girardi, verificador técnico e especialista em pneus da Giro Car, também de Joinville.

Foto: Artur Moser, BD

Óleo e filtro
Verifique o nível de óleo e o prazo de validade. Se estiver vencido, troque por um lubrificante com as mesmas especificações recomendadas pela montadora.

– É o óleo que mantém a vida útil do motor. Sem a substância, ele perde o potencial de lubrificação, o que gera atrito interno e, muitas vezes, danos permanentes –complementa o gerente da Eurocar.

Filtro de ar e combustível
São essenciais para o bom funcionamento do motor. Influenciam diretamente no consumo de combustível se estiverem velhos. Em casos de muita sujeira, podem entupir e deixar você na rua. Ambos têm prazo de validade estipulado pelas montadoras.

Freios
O sistema de freios deve ser revisado a cada 10 mil quilômetros em uma mecânica ou concessionária. Se isso estiver em dia, em um posto de combustível você pode checar o fluido do freio. Se estiver baixo, precisa ser preenchido e você deve procurar um mecânico porque possivelmente há vazamento. O fluido também tem prazo de validade para ser trocado completamente.

– É importante também que pastilhas, discos, lonas, cilindros e flexíveis estejam em dia. Grande parte dos acidentes ocorrem por falta de manutenção preventiva dos freios – completa Berri.

Rodas
Em rodas de ferro, procure amassados. Se a pressão de um pneu estiver mais baixa que os demais, é provável que a roda esteja amassada, permitindo a fuga de ar. O reparo é simples e pode ser feito rapidamente.

– Em rodas de liga, fique atento às quebras e trincas. Dependendo do caso, sua substituição pode ser necessária – completa Ciro.

Foto: Tadeu Vilani, bd, 22/12/2010

Suspensão / geometria / balanceamento
A suspensão dos carros deve ser revisada a cada 10 mil quilômetros, incluindo geometria e balanceamento. É importante verificar o desgaste de amortecedores, molas, buchas e batentes. Direção do carro puxada para os lados, ou ruídos, podem ser indícios de problemas na suspensão– Estes serviços funcionam como uma consulta médica pois verificam se o veículo necessita de mais alguma correção. Com balanceamento e geometria feitos regularmente, é possível aumentar em 50% a duração dos pneus. O pior é que estes “sintomas” costumam aparecer em velocidades mais altas. Vibrações ao volante, no caso de uma roda desbalanceada, ou direção desalinhada, quando o carro puxa para um dos lados – explica o gerente da Eurocar Centro Automotivo.

Arrefecimento
O primeiro ponto de atenção aqui é manter sempre o fluido recomendado pelo fabricante, que pode ser normal ou de longa duração (orgânico). Além disso, a água do radiador deve estar no nível e também é preciso ver se o fluido do sistema de arrefecimento está em dia. Essa substância ajuda a manter a temperatura do motor e evita o aquecimento, o que afasta a possibilidade de o motorista ficar na estrada de capô aberto com motor fervendo.

Bateria
Quase ninguém se importa com a bateria até o carro não pegar mais. Mas ela também precisa ser revisada.

– A vida útil de uma bateria dura em média de três a quatro anos. Para ver se está tudo ok, é importante manter a atenção principalmente ao dar partida no carro, pois é o momento em que a peça dá mais sinal de desgaste. O indício mais comum é as luzes do painel se apagarem ou o rádio desligar – explica Henrique.

Lâmpadas
Nem pense em viajar com alguma lâmpada do carro queimada. É perigoso e você ainda pode ser multado. É preciso checar todas, entre elas as luzes de freio, ré, faróis e lanternas.

Carlinhos Rodrigues, BD, 10/12/2004

Itens de emergência
Veja se todos os itens de emergência como triângulo, chave de roda, macaco, estepe e extintor estão no lugar. Veja a necessidade de estarem na validade, é importante testá-los antes de pegar a estrada para ver se estão funcionando.

Fluidos
Na estrada, o motor é submetido a um esforço maior do que no circuito urbano. Por isso, é importante ver o nível, a validade de todos os fluidos e seus filtros, bem como a presença de vazamentos: líquido de arrefecimento, óleo do motor e transmissão, fluido de freio, direção hidráulica e embreagem, e nível do combustível do reservatório de partida. Se o prazo de troca de filtros e fluidos estiver próximo, não há mal em adiantá-lo.

Velas e cabos
Alguns fabricantes indicam que as velas devem ser examinadas a cada 10 mil km e os cabos trocados a cada 50 mil km. Problemas neste sistema pode diminuir a vida útil de outros componentes.

Correia dentada
A substituição preventiva desse elemento, segundo os fabricantes, deve ser feita (em média) a cada 50 mil km.

– Mas um check a cada 15 mil km pode apontar trincas e desgastes indicando a necessidade de troca. O rompimento desta peça pode danificar gravemente o motor – explica Henrique.

Sistema de limpeza dos vidros
Cheque o nível do reservatório de limpeza e o estado das palhetas. Se os limpadores e desembaçadores estiverem ressecadas, não farão um bom escoamento da água. No dia da viagem, limpe bem os vidros: a sujeira reflete luz e dificulta a visão. Em carros sem ar-condicionado, não é má ideia levar um pano de algodão e um spray anti-embaçante em caso de chuva.

Radiador
Respeite a data limite de troca do líquido de arrefecimento do motor. E peça para seu mecânico conferir o funcionamento da válvula termostática, do radiador, da bomba d’água, da ventoinha e dos marcadores de temperatura no painel.

Higienização
Parece supérfluo, mas para quem sofre de alergias respiratórias, viajar por horas em um carro com poluentes biológicos pode ser um pesadelo.

– Quem é alérgico deve fazer higienização dos bancos, sobretudo se forem de tecido, dos cintos de segurança e do filtro do ar-condicionado. Os ácaros e fungos se proliferam pelo calor ou umidade e ficam retidos entre as fibras do estofamento, que agridem, principalmente, pessoas alérgicas. Neste caso, o ideal é fazer a higienização a cada três meses. Se a pessoa for viajar para praia, levando em consideração o tempo que vai ficar, também é bom utilizar uma cera especial para formar uma película de proteção contra a maresia, o que evita a corrosão da lataria – complementa Jean Zimmermann, higienizador da Original Car e Fan, de Blumenau.

Gira Pneus
Os serviços de balanceamento, geometria e calibragem custam R$ 150. Sócios do Clube do Assinante têm 50% de desconto na mão de obra e pagam R$ 75.
Rua Dona Francisca, 663, Centro, Joinville – (47) 3026-5656.

Eurocar Centro Automotivo
A partir de R$ 90 a troca de óleo e filtro. Sócios do Clube do Assinante têm 50% de desconto na mão de obra e pagam R$ 45. Além disso, ganham balanceamento e geometria gratuitos após fazerem qualquer outro serviço.
Rua Coronel Procópio Gomes, 373, Bucarein, Joinville – (47) 3422-8312.

Original Car e Fan
R$ 250 a higienização interna. Sócios do Clube do Assinante têm 20% de desconto neste serviço e pagam R$ 200. A empresa oferece ainda 10% de desconto sobre o valor de tabela em todos os serviços, 15% de desconto na lavação de motor e assoalho e 20% de desconto na cera automotiva.
Rua Presidente Gaspar Dutra, 65, Vila Nova, Blumenau – (47) 3285-8411.