Mulheres com hábitos matinais têm risco menor de desenvolver câncer de mama, sugere estudo

Levantamento considerou os dados de mais de 400 mil mulheres

Hábitos noturnos já foram relacionados com maiores problemas de saúde. Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS

Ter hábitos matutinos pode estar relacionado a um risco menor de desenvolver câncer de mama, indica um estudo feito pela Universidade de Bristol, na Inglaterra. O material foi apresentado na 2018 NCRI Cancer Conference, maior evento sobre o tema do Reino Unido.

Para obter os resultados, os pesquisadores analisaram dados de mais de 400 mil mulheres cadastradas no UK Biobank Project e que participaram do estudo Breast Cancer Association Consortium (BCAC).

— Usando variantes genéticas associadas com as preferências das pessoas pela manhã ou à noite, tempo de sono e insônia, nós identificamos se essas características têm uma contribuição causal para o risco de desenvolver câncer de mama — explicou, ao site da universidade Rebecca Richmond, uma das autoras.

Ao cruzar dados do BCAC, os pesquisadores descobriram que a preferência pela manhã reduziu o risco de câncer de mama em 40% em relação às mulheres noturnas. Também foi descoberto que aquelas que dormem mais que as sete a oito horas recomendas por noite tinham 20% a mais de chance de desenvolver a doença por cada hora adicional dormida. Os resultados não foram diferentes nos dados do UK Biobank: as matutinas tinhas 48% menos risco de desenvolver câncer de mama. Sobre as questões de insônia e tempo de sono, os dados foram menos relevantes.

— Nós gostaríamos de trabalhar mais para investigar os mecanismos subjacentes a esses resultados, já que os dados são baseados em questões relacionadas à preferência pela manhã ou noite, em vez de saber se as pessoas levantam mais cedo ou mais tarde. Em outras palavras: pode não ser o caso de que mudar os hábitos mude o risco de câncer de mama, pode ser mais que isso. No entanto, os resultados são consistentes com outros estudos anteriores que referiam o trabalho noturno e a exposição à luz noturna como fatores de risco para a doença.

Outros pesquisadores ouvidos pela universidade concordam com a relevância do levantamento.

— São achados interessantes que dão mais evidências de como nosso relógio biológico e preferência natural pelo sono estão implicados no aparecimento de câncer de mama _ avaliou Cliona Clare Kirwan, membro do grupo de estudos do NCRI.