Saiba como a água mineral pode interferir no paladar

Foto Ricardo Wolffenbüttel/Diário Catarinense

Local onde é extraída pode mudar composição da água – Foto Ricardo Wolffenbüttel, NSC Comunicação

Pode parecer estranho, mas nem toda água mineral é igual. Ela difere conforme o local onde é coletada e os minerais que a compõem. Isso quer dizer que a água pode alterar o paladar e, assim, interferir na hora de degustar determinados pratos e drinks. Sim, harmonização de água existe, assim como sommelier que pode indicar qual tipo dela tem mais a ver com refeições e ou com outras bebidas, como o vinho.

Eduardo Araújo é sommelier de água em Santa Catarina e conta que a profissão muito recente, com poucos representantes no Brasil. Segundo ele, o trabalho é muito similar ao de um sommelier de vinho, por exemplo, ou seja, sua função principal é selecionar a água mais adequada para combinar com a refeição como todo. De acordo com Araújo, é possível classificar a água mineral em dois tipos: leves e pesadas. E o consumidor identificar essa diferença lendo o rótulo.

— Uma medição importante a se olhar é o “Resíduo de Evaporação” que variam de níveis baixos (10-40mg/l) até muito altos (até 7.000mg/l). Se o residual for baixo podemos descrever a água como leve, limpa e até mesmo doces. As com alto nível residual são mais cheias, pesadas e com sensação salgada ou mineral. Por exemplo, existe uma água Espanhola que dá sede quando se bebe de tão pesada, ela tem 1.070 mg/l de sódio e o Residual de Evaporação é de 2.900mg/l — conta o sommelier.

Minerais

Outro ponto para ficar atento é com relação aos sólidos residuais que compõem o líquido. Eles variam conforme os diferentes tipos de rochas, gases e materiais orgânicos presentes no local onde é coletada a água. A água pode ter elementos como carbonato de cálcio, nitrogênio, fósforo, ferro, enxofre, sódio, entre outros.

— Uma água de uma geleira com depósitos de milhões e milhões de anos em regiões isoladas é muito pura. Já uma água que provém do degelo de uma montanha e passa durante anos por uma filtração lenta entre os diferentes componentes do solo dessa montanha carrega consigo uma característica mais mineral e marcante — explica.

Segundo o especialista em industrialização de água mineral Tarciano Oliveira, a água extraída em Rancho Queimado, por exemplo, tem pouca mineração, o que a caracteriza como uma fonte de água leve, que é mais indicada para o consumo diário.

— O consumidor deve sempre ver os minerais que são importantes para sua saúde e a quantidade deles, pois pode acabar ingerindo uma água onde há excesso de algum mineral que pode não lhe ser conveniente. Normalmente, as pessoas se preocupam com sódio e fluoreto que, em índices muito altos, podem não ser ideais — completa Oliveira.

Saiba como funciona a harmonização da água, segundo o sommelier Eduardo Araújo:

  • Para harmonizar, devemos pensar nos sabores que a água pode trazer. Se ela for rica em cálcio é mais leitosa e macia, em magnésio é mais amarga e em sódio, mais salgada.
    Com o vinho, por exemplo, a água deve acompanhar e não piorar a experiência. Sua mineralização e o conteúdo de ácido carbônico são fatores cruciais.
  • Vinhos ricos em taninos não vão bem com águas de alto índice de ácido carbônico, pois ela enfatiza o amargor. De outro modo, vinhos doces requerem água com muito ácido carbônico, refrescando, mas enfatizando a doçura gentilmente. E para neutralizar a acidez é importante o bicarbonato, típico de águas que correm por calcário.
  • As águas podem ser ligadas a saúde não só na hidratação. As fluoretadas, por exemplo, são indicadas para a saúde dos dentes e ossos. O seu consumo é recomendado pela Organização Mundial da Saúde para prevenir doenças da boca. As brometadas são sedativas e tranquilizantes, ajudam a combater a insônia e o nervosismo. A sulfatada atua como anti-inflamatório e antitóxico.

Leia mais:
Saiba porque é importante beber água antes do café da manhã

Faça as pazes com seu prato: saiba identificar se sua relação com a comida está fora do normal
Qual a diferença entre manteiga clarificada, de garrafa e ghee?