Vergonha do corpo? Saiba como as inseguranças podem atrapalhar na hora do sexo

Sexóloga dá dicas para encontrar a liberdade sexual baseadas em um ponto chave: respeite sua própria vontade

Ilustração: Lídia Brancher/reprodução

Você tem alguma insegurança quando o assunto é sexo? Muitas mulheres (e os homens também) possuem medos e angústias que podem atrapalhar os momentos de prazer.

Confira algumas:

Vergonha do corpo

De acordo com a sexóloga Carla Cecarello, a insegurança feminina em relação ao corpo é algo quase que unânime.  Segundo a especialista, as mulheres costumam ficar preocupadas com o tamanho e o formato dos seios, com a aparência da barriga ou se o parceiro ou parceira vai reparar se elas têm celulite, por exemplo.

Carla conta ainda que é comum ouvir de mães que se separaram e estão saindo com outra pessoa que a maior preocupação é com detalhes como a cicatriz da cesárea.

Sexo no primeiro encontro?

Outras dúvidas delas têm relação com transar no primeiro encontro. A sexóloga afirma que muitas mulheres pensam que o parceiro pode desistir por achar que ela está fazendo “graça” em não ir para a cama logo de cara.

Neste caso, a orientação de Carla é respeitar sua vontade e só transar se a mulher realmente se sentir segura para isso

— Ela precisa escolher o que é melhor para ela naquele momento. Sem receio de dizer sim ou não — afirma a sexóloga.

E as inseguranças dos homens?

Apesar de elas serem mais preocupadas que eles, os homens também se mostram um pouco temerosos quando o assunto é sexo. A sexóloga observa que a insegurança deles é falhar na hora H, principalmente se é um relacionamento novo.

A ansiedade pode causar disfunção erétil e ejaculação precoce. . Isso ocorre quando o homem está muito tempo sem fazer sexo ou muito preocupado com o próprio desempenho.

Outra situação um pouco tensa para eles é o momento de colocar o preservativo. Uma sugestão é pedir uma ajudinha: que a parceira ou parceiro coloque a camisinha com a boca. Essa é uma ótima maneira de driblar essa insegurança masculina e ainda fazer um sexo seguro.

— Sexo é bom quando se sabe o que quer e como quer, sempre tomando as devidas precauções — ressalta a especialista.

Leia também:

Menos da metade dos jovens já fez sexo casual, diz pesquisa

Sexóloga dá dicas para você dizer o que quer na cama

Mulheres na faixa dos 36 anos têm o melhor sexo de suas vidas, diz pesquisa