Ano de justiça e prosperidade: saiba qual a previsão dos orixás para 2018

Se 2017 foi um ano de muitas lições, 2018 será de justiça e, principalmente, um ano bom para empreender.

De acordo algumas religiões de matriz africana, como a da nação cabinda (originária da Angola), 2018 será o ano de Bará, acompanhado de Obá e Ossanha. No sincretismo católico, uma das representações de Bará é São Pedro. Segundo a crença, é uma divindade manifesta desde os tempos primordiais e está ligado a forças energéticas. É quem estabelece a comunicação entre os seres humanos e a natureza divina.

— Bará é o senhor dos caminhos, o princípio de tudo. Sem ele, nada começa — afirma a Yalorixá Gislane de Oya, mãe num terreiro na Grande Florianópolis.

Ela explica que Bará é o primeiro orixá do panteão africano na nação cabinda. Como aspecto positivo, ele traz prosperidade.

— Será um ano bom para empreender, encerrar ciclos e começar novos. Essa será a energia do ano.

Como aspecto negativo está a tendência a desentendimentos e confusões.

— A vida é um espelho. Tudo que vai, volta. Por isso é importante que neste ano as pessoas abram mais o coração e doem o que elas têm de positivo para os outros. Abrir-se para o positivo para que tudo flua naturalmente. Essa é uma maneira de estar imune.

Xangô e Iansã

Os orixás Xangô e Iansã também regem 2018, conforme outra doutrina de matriz africana. Xangô é o orixá da justiça, por isso será um ano em que a união será fundamental na cobrança por essa justiça. Iansã, orixá dos ventos raios e tempestades, também vai influenciar.

Leia também

Retrospectiva Versar – 17 mulheres que marcaram 2017
Vermelho para o amor, amarelo para riqueza: veja qual a melhor cor de calcinha para entrar 2018
Roberta Dalsenter: 20 dicas do que fazer e não fazer ao receber convidados em casa