#SeEleEstivesseArmado? Mulheres usam hashtag para relatar casos de violência

Em maioria, são episódios de violência doméstica

Foto: Pexels / Divulgação

Um dia depois de o presidente Jair Bolsonaro assinar o decreto que flexibiliza o acesso à compra e à posse de armas de fogo no país, internautas se mobilizaram nas redes sociais para fazer um alerta dos riscos que isso pode representar, especialmente para mulheres.

Com a hashtag #SeEleEstivesseArmado, os relatos foram postados no Twitter. Em maioria, são casos de violência doméstica, mas também há situações de assalto, brigas de trânsito, e tentativas de estupro.

Confira alguns depoimentos retirados da rede social, todos anônimos:

“Cresci em um ambiente violento, vendo meu pai, um típico cidadão de bem, agredir minha mãe. Quando eles se separaram, as agressões foram direcionadas a mim. Um dia, ele disse que acabaria comigo e com minhas irmãs se eu ousasse denunciá-lo. #SeEleEstivesseArmado, eu não estaria aqui hoje”.

“Fui parada por um cara de moto em uma rua deserta, estava sozinha, ele me pediu meu número, passei errado mas ele tentou me ligar na hora, estava sem bateria por um milagre, disse que tinha deixado o celular em casa,#SeEleEstivesseArmado poderia ter sido muito diferente!” 

“Meu ex achou supernormal me perseguir por 2000 km em outro estado, invadir minha casa, me agredir, me ameaçar.  Nesse dia, toda vez que ele mexia na mochila eu achava que ele ia pegar uma arma. #SeEleEstivesseArmado eu tinha morrido em agosto de 2014.”

“Meu pai sempre foi alcoólatra e quando bebia tinha crises de agressividade e violência. Já bateu na minha mãe, em mim, na minha irmã, quebrou a casa inteira (incluindo mesas de mármore pra vocês calcularem a fúria). #SeEleEstivesseArmado nenhuma de nós 3 estaríamos mais aqui.”

“Um namorado de adolescência – dos meus 15/16 anos – não aceitou o fim do namoro. Passou a me perseguir, tentou invadir a casa de uma amiga em que eu estava, dizia que ia se matar e chegou a cortar os pulsos. Se tivesse uma arma, podíamos estar os dois mortos. #SeEleEstivesseArmado.”

“Quando falei para um ex-namorado que não queria mais porque meu lance era meninas ele enlouqueceu. Me perseguiu, me agrediu num bar, me jogou de uma escada me ameaçando de morte (BO registrado e tudo).  #SeEleEstivesseArmado eu não estaria aqui tweetando essa história.” 

#SeEleEstivesseArmado? Ele estava. Depois de uma discussão, atirou na cabeça dela enquanto ela dormia e atirou em si mesmo depois porque não conseguiu assumir a culpa. Tirou minha mãe de mim, do Lucas e do Gustavo. Não é drama, é medo do que pode acontecer com as outras.”

“Para muitas de nós que já passaram por um relacionamento abusivo e um término conturbado, a pergunta que fica na cabeça é: E se ele voltar armado?  #SeEleEstivesseArmado

Leia também:

“Tá no Ar”: Marcelo Adnet ironiza Bolsonaro em esquete sobre a vila do Chaves

Faustão cita “imbecil” ao comentar política e internautas relacionam fala a Bolsonaro