Música é lugar de mulher: coletivo SÊLA reúne artistas em Florianópolis

Camila Garófalo e Dandara Manoela são algumas das mulheres que se apresentam no SÊLA em Florianópolis. Fotos: Mari Rosa e Guilherme Meneghelli

Depois de uma imersão no Psicodália, em Rio Negrinho, durante o Carnaval, o coletivo SÊLA realiza nesta quinta-feira o primeiro festival em Florianópolis. Com line-up 100% feminino, o encontro será no DeRaiz, na Joaquina, e terá participações de Camila Garófalo, Dandara Manoela, Marissol Mwaba, ReNata SwoBoda, La Leuca e DJ Brum.

Movida pelo grito de que “Música é lugar de mulher”, a noite tem como proposta reunir artistas de diferentes estilos musicais e exaltar a produção artística feminina. Vale conferir a novíssima La Leuca, banda criada em Floripa em 2017 por Helena Bonanomi (guitarra, vocais), Mariana Bonanomi (guitarra, vocais), Dora Hoff (baixo) e Carolina Werutsky (bateria) que está produzindo o primeiro EP.

La Leuca, banda de Floripa. Foto: Lara Albrecht

O SÊLA foi criado em São Paulo há cerca de um ano e presta consultoria, produção, assessoria e comunicação para cantoras, compositoras e instrumentistas. O coletivo surgiu depois que a cantautora Camila Garófalo começou a produzir seus próprios shows e chamou a atenção de colegas.

— As amigas artistas se aproximavam para perguntar como eu fazia. Então o movimento foi natural, eu já prestava essa “consultoria” e percebi que ele só precisava de um nome. E daí surgiu a SÊLA, com o intuito de combater o mercado predominantemente masculino e consequentemente machista da música — explica Camila, que abre a noite de shows na Capital.

Agende-se

SÊLA no SUL
Quando: quinta-feira (22), a partir das 20h
Onde: DeRaiz (Av. Pref. Acácio Garibaldi, em frente as dunas da Joaquina, Florianópolis)
Quanto: R$ 15 até 22h, R$ 20 depois
Mais informações pela página no Facebook

Leia mais:

“Na história literária, há um apagamento muito forte das escritoras”, diz Thalita Coelho

“A mulher negra é alvo de assédio, racismo, preconceito. Tudo precisa melhorar. O que mudou é que nós estamos mais unidas”, diz IZA

Arte em tempos de intolerância: cantora Juliana D Passos prepara a nova temporada do projeto Macumbaria