Sete motivos (e um alerta) que fazem do Instagram o app dos solteiros

Foto: pexels
Por Caue Fonseca – Donna

Quem está na pista já reparou faz algum tempo. O principal app de paquera do momento não é um app de paquera, e sim o Instagram – especialmente após ter funcionalidades ampliadas em 2016. Redação conversou com mulheres do Grupo da Beleza Donna, no Facebook, para entender por que a antiga rede social das fotinhos com filtros vintage se tornou o novo universo dos solteiros.

Ele não é um app de paquera

O mais chato em um app de paquera é justamente o desconforto de estar nele. Por mais desencanados que sejam os usuários e usuárias, (ainda) não é boa a sensação de recorrer a um app para conhecer gente. O Instagram ganha pontos: ninguém fica constrangido ao interagir por lá. Não há aquela sensação esquisita de “nós dois sabemos o que estamos fazendo aqui”.

As pessoas são (minimamente) conhecidas

Se você não é musa fit ou algo do gênero, talvez conheça a maioria dos seus seguidores. Se não conhece bem, ao menos sabe que é um amigo da amiga, um ex-colega de faculdade, um carinha ali do outro setor da firma e por aí vai. Já é melhor do que se ver, subitamente, em frente a um completo estranho interessado em você. Nos apps especializados, inclusive, encontrar conhecidos só torna tudo mais constrangedor.

Há mais privacidade e menos ciumeira

Esse é um dos pulos do gato. O Instagram, repare, nunca fez questão de montar um feed com muito destaque a quem andou curtindo o quê de quem. As informações existem, mas sempre disponibilizadas de forma discreta. É diferente de uma interação via Facebook, por exemplo, em que todo mundo está sujeito ao julgamento (e ciúmes) alheio. E com o advento do InstaStories, então, que permite mensagens privadas entre A e B, as portas se abriram para o flerte.

Seu estilo de vida fica na vitrine

Postar vídeos no Stories é mais do que alimentar um feed com os melhores momentos do dia. É também dar demonstrações em tempo real de como você gosta de se divertir, dos seriados que curte, do seu humor… Ao final do dia, são amostras do seu estilo de vida que podem interessar a alguém de gostos parecidos (e vice-versa).

A interação mais natural

As diversas demonstrações do seu estilo de vida no Stories também são ótimos ganchos para puxar assunto. Muito mais do que aquela assustadora janela de chat em branco quando um app de paquera aponta um match. É nesses papinhos não muito inocentes que começa a ficar subentendido o interesse de uma pessoa na outra – ou o desinteresse, também interpretado se não há química na conversa.

Há diversos “interessômetros”

A pessoa puxar conversa de vez em quando para comentar a fofura do seu cachorro levanta suspeitas. Puxar papo sobre os mais diversos assuntos é uma clara demonstração de interesse e uma tentativa de criar intimidade. É um dos “interessômetros” do Instagram sem precisar de match. Observe também fatores presentes em outras redes sociais, como a quantidade de curtidas e as visualizações constantes dos seus vídeos.

Dá para reativar/reavaliar crushs

Boa parte das mulheres com as quais conversamos mencionaram que uma das bacanices do Instagram é ter acesso a crushes de outros tempos. Aquele seu ex-colega com quem sempre rolou um clima, mas tinha uma namorada de anos e anos: basta uma olhada no perfil para perceber a ausência dela nas fotos. Além de colecionar novos, a rede serve para retomar antigos interesses.

Cuidado com o “Tinstagram”

Você foi adicionada por alguém que não conhece, mas parece já ter visto em algum lugar? Você pode ter sido “Tinstagramada”, termo criado pela imprensa estrangeira para definir o vil ato de pessoas que, indiferentes ao seu “não” no app de paquera, olham fotos e dados para rastreá-la no Insta e tentar uma segunda chance. Malandragem digna de bloqueio e mais uma incomodação de quem adere aos apps de paquera.

Leia Mais:

Cinco aplicativos para melhorar a sua vida (e deixá-la mais leve)