Aprenda uma sobremesa de peras com azeite de oliva e outras dicas gastronômicas

peras
Foto: Murillo Saldanha/Divulgação

O método indicado para a harmonização do azeite com pratos ensina que para temperar frios, saladas e queijos leves, o ideal é um azeite fresco e frutado. Já peixes, legumes e massas combinam com um sabor suave, com algum amargor picante. Carnes, molhos concentrados e queijos fortes harmonizam com azeite maduro e doce. A ousadia agora é utilizar azeites que conferem sabor a sobremesas. Com canela, baunilha ou casca de limão, podem finalizar receitas ou se tornarem ingredientes de destaque. Experimente também os azeites com alecrim, manjericão, pimenta e com trufas, que ao contrário do que pode parecer, são perfeitos para dar um toque especial em sobremesas com chocolate ou em cremes brûlées.

Sobremesa de peras com azeite e mel
(Para seis pessoas)

6 peras doces e firmes
1/4 de xícara de mel
1 colher de sopa de essência
de baunilha
1/2 colher de chá de canela em pó
Suco de 1 limão
2 colheres de azeite de oliva

Pré-aqueça o forno a 200°C. Descasque e corte as peras em quatro, descartando cabinhos e sementes. Em seguida, coloque as peras cortadas em um refratário untado com azeite de oliva. Em uma tigela, coloque o mel, a baunilha, a canela, o limão e duas colheres de sopa de azeite de oliva e misture até obter um creme homogêneo. Coloque o creme na assadeira e mexa até que os pedaços de pera estejam totalmente envolvidos pela mistura. Leve ao forno por 30 minutos, até que as peras estejam macias e levemente douradas.
Sirva com sorvete de creme.

Leia também: Conheça o mel de bracatinga, um fenômeno da natureza

 

Ora-pro-nóbis

Bastante popular na zona rural de Minas Gerais, onde inclusive é utilizada como cerca viva por causa dos seus espinhos, mas extremamente bela quando floresce, a ora-pro-nóbis é conhecida como o “bife dos pobres”, por ser rica em proteínas e comestível. Estudo feito pela Universidade de Lavras (MG) constatou que seus princípios ativos são eficientes para o tratamento de várias doenças. Seu alto teor de fibras ajuda no processo digestivo, além de ajudar a recompor toda a flora intestinal. Seu elevado teor de vitamina C supera a laranja em quatro vezes.

Como consumir: as folhas são comestíveis. Seu preparo é simples, seu sabor é neutro, ou seja, não é picante, nem ácido, nem amargo. Sua textura é macia, fácil de mastigar. Ela poderá ser utilizada em recheios, saladas, refogados, sopas e chás.

Onde encontrar: mudas para plantar em casa e folhas você encontra na Quitanda do Paladar – produtos orgânicos, no Box 15 do corredor da Ala Sul do Mercado Público de Florianópolis.

Leia também: Como fazer o famoso purê de batatas de Jöel Robuchon, um gênio da Gastronomia

 

Provei e gostei

Foto: Ridye Rinald/Divulgação

Fazendo uma fusão da gastronomia peruana e a japonesa conhecida como Nikkei, o Dókio é um restaurante que contém no seu cardápio os clássicos sushis e o contemporâneo estilo japan food que conquistou os apaixonados pela gastronomia oriental. O Combo Dókio (foto), preparado com atum, salmão, peixe branco, salmão tostado, barriga com salsa de trufa, viera canadense, atum e enguia é uma pequena amostra do que o chef Félix Villar prepara com ingredientes frescos. Rua Alves de Brito, 161, Florianópolis.