Sustentabilidade ganha força e marcas investem no eco fashion

damyller
Foto: Damyller/Divulgação

Faltando cinco meses para o fim do ano, a humanidade já consumiu mais recursos do que o planeta pode regenerar. De acordo com a Global Footprint Network, uma organização internacional de pesquisa, em 1970, o Dia da Sobrecarga da Terra, ou Earth Overshoot Day – foi registrado em 29 de dezembro, apenas dois dias antes do final do ano. Em 2018, a data que marca o esgotamento de orçamento natural anual passou para 1º de agosto*. Isso aponta que estamos vivendo um retrocesso progressivo no déficit ecológico. Repensar padrões e criar soluções disruptivas devem, portanto, estar em pauta em todos os setores, e passam a ser prioridade para a sobrevivência do planeta.

Neste cenário, a sustentabilidade ganha espaço e destaque em setores que até então eram apontados como os mais prejudiciais ao planeta. Grandes nomes da moda já estão com seu olhar voltado para este tema. A estilista Stella McCartney é uma das defensoras da moda verde ou eco fashion. Adepta ao veganismo, a estilista não utiliza nenhum derivado de animal em suas peças. A filha do ex-Beatle Paul McCartney acumulou um currículo de peso, passando por marcas como Gucci, e hoje assina a grife que leva seu nome e é sinônimo de sustentabilidade na moda.

Mas a preocupação com o meio ambiente vai muito além. A indústria possui toda uma cadeia produtiva que pode ser repensada de forma a gerar resultados positivos para a sociedade.

Em Santa Catarina, atenta às tendências, a Damyller tem como carro-chefe de suas coleções o jeanswear e acredita que a consciência ambiental está relacionada ao bom andamento da empresa e do sucesso de seus produtos. E por isso, há mais de oito anos, a marca utiliza em seu processo produtivo um equipamento que retira e substitui o uso de água: a máquina de ozônio, que é usada no beneficiamento do jeans. Com tecnologia espanhola, o equipamento permite a redução no uso de uma tonelada de produtos químicos por mês, antes utilizados na lavagem do denim. Outro benefício importantíssimo é a economia no uso de 3,3 milhões de litros de água (o suficiente para encher quase duas piscinas olímpicas), que deixam de ser usados no processo todos os meses.

– Para a Damyller a sustentabilidade não é somente uma questão de respeito ao meio ambiente, é também uma forma de mostrar o quanto a empresa considera e se preocupa com os funcionários, comunidade e consumidores da marca. Por isso, investimentos constantes são feitos desde a educação sobre a importância da coleta seletiva de resíduos, até o tratamento de toda água utilizada na empresa. Se precisamos e utilizamos os recursos naturais para dar vida aos produtos, nada mais justo que preservá-los, fazendo moda de forma consciente e sustentável – destaca o sócio-fundador da empresa, Cide Damiani.

Complementando as iniciativas sustentáveis da Damyller estão a coleta seletiva de resíduos, reciclagem e utilização de lâmpadas de LED por todo o parque fabril, visando a redução no uso de energia. Além disso, a empresa investe na realização de pesquisas para obter a melhor tecnologia no beneficiamento têxtil, assim como processos e produtos
de última geração.


* O cálculo da data
 usa como base a biocapacidade do planeta – ou seja, o montante de recursos naturais disponíveis – dividindo-a pela quantidade de recursos que consumimos. Segundo dados da Global Footprint Network, atualmente precisamos de 1,7 planeta para sustentar todas as demandas da humanidade com os ecossistemas da Terra.