Tonico Pereira fala sobre seu monólogo ‘O julgamento de Sócrates’, que estreia na Capital neste sábado, 5

Tonico
Foto: Divulgação

No ano em que festeja meio século de carreira no teatro, Tonico Pereira está em turnê com seu primeiro monólogo, O Julgamento de Sócrates, que passa por Florianópolis neste sábado, 5. A peça, uma livre adaptação do autor Ivan Fernandes de Apologia de Sócrates, de Platão, é dividida em três partes: na primeira, o filósofo grego faz sua defesa. Na segunda, após a condenação, ele tem o direito de propor uma pena alternativa, mas se nega a fixá-la, pois isso significaria o reconhecimento de sua culpa. Após a fatal condenação, ele diz suas últimas palavras para a sociedade que o condenou, prevendo tempos duros para Atenas e para todas as sociedades posteriores.

Para tornar o espetáculo mais contemporâneo, Ivan e Tonico criaram um Sócrates que reflete sobre a atual situação do País.

– Contextualizamos os pensamentos e as reflexões dele dentro do momento que vivemos no Brasil, que é de inseguranças, de incertezas, de medo, de desigualdade… Ivan e eu achamos pertinente fazer algumas mudanças no texto original para trazer uma nuance mais contemporânea. Não tenho grandes pretensões com isso, mas me dá forças para reagir – explica.

Antes de aceitar o desafio, Tonico demorou a acreditar na potência dos monólogos, tanto que já recusou vários outros convites.

– Toda vez que falavam em monólogo comigo, eu saia fora. Acho chato demais encenar sozinho, sem companheiros, porque gosto de dividir. Mas estou aprendendo que compartilhar somente com a plateia é bom também. E eu jamais recusaria esse trabalho por ser um profundo admirador do pensamento socrateano. Ele foi um filósofo que nunca escreveu nada. Assim como ele, minha formação não é acadêmica. Veio da escuta, da observação da vida… Outro ponto que temos em comum é que também sou um cara muito livre. Até hoje só não transei com homem, de resto, sempre fiz tudo que me deu na telha – brinca.

Apesar de se identificar como um “analfabeto digital”, Tonico gosta de compartilhar suas elucubrações em seu perfil no Instagram.

– Eu não consigo nem ligar a televisão sozinho. Nunca sentei na frente de um computador. Nem quero! Aprendia a usar o celular toscamente e utilizo o Instagram pra mim mesmo – diz ele que divide a atuação nos palcos e na TV com o trabalho de vendedor. Tonico mantém três estandes em um galpão em Botafogo, na zona Sul do Rio, onde vende camisetas com frases autorais, canecas e outros objetos. Uma das t-shirts que mais fazem sucesso é a que diz “meu projeto de vida é a próxima respiração”.

– Nem sei porque ainda mantenho esse negócio. Só me dá prejuízo e tá indo precariamente. Ninguém tem grana para comprar nada! Mas o (Michel) Temer jura que está tudo bem. Então tá!

O Julgamento de Sócrates
05/05, às 20h30min
Quanto: R$ 70. Sócio do Clube NSC e acompanhante têm 40% de desconto na compra do Ingresso na loja Blueticket do Beiramar Shopping, em Florianópolis.
Onde: Rodovia José Carlos Daux, 4.600, Saco Grande, Florianópolis.

Leia mais:
Sucesso na web, Jojo Todynho fala em entrevista sobre carreira e o desejo de se formar psicóloga
Entrevista: “Apanhei do novo feminismo, mas aprendi as novas regras”, diz Fernanda Torres
Entrevista com Flávia Alessandra: “Não pode ser normal a opressão, o abuso”