Da previsão do tempo à bancada: relembre a trajetória de Maju Coutinho

Jornalista paulistana estreia como apresentadora titular do "Jornal Hoje" nesta segunda-feira

Maju Coutinho ganhou reconhecimento nacional como garota do tempo e, aos poucos, como apresentadora dos telejornais. Foto: Zé Paulo Cardeal, TV Globo

Quem acompanha a carreira de Maju Coutinho aguardava o momento em que a garota do tempo do Jornal Nacional sentaria em uma bancada como apresentadora oficial, não apenas como uma substituta de finais de semana. Este dia, enfim, chegou. Na tarde desta segunda-feira (30), a jornalista de 41 anos faz sua estreia como titular da Globo à frente do Jornal Hoje.

Maria Júlia Coutinho assume um posto importante após quase 15 anos dedicados à profissão. Relembre a trajetória dela:

O início

Nascida em São Paulo, Maju graduou-se em jornalismo pela Faculdade Cásper Líbero, uma das mais importantes do país. Uma de suas primeiras experiências na área foi na Fundação Padre Anchieta, mantenedora da TV Cultura, onde começou em 2005 como estagiária e chegou ao cargo de repórter. Foi âncora do Jornal da Cultura ao lado de Heródoto Barbeiro e também do Cultura Meio-Dia. 

A garota do tempo

Maju ingressou na Globo em 2007, onde voltou à função de repórter, entrando ao vivo nos telejornais locais da emissora. Com a licença-maternidade da jornalista Eliana Marques, conseguiu emplacar como garota do tempo nos programas Bom Dia SP, Bom Dia Brasil e Globo Rural. Virou titular do posto em 2014 e, com seu carisma, passou a fazer eventuais previsões do tempo no Jornal Hoje e no Jornal Nacional.

Chamou a atenção dos espectadores ao falar sobre o clima de forma descontraída, além de didática, sem perder a elegância. Com o sucesso, virou a garota do tempo oficial do Jornal Nacional em 2015. Foi nesse mesmo período que uma onda de ataques raciais se voltou contra a jornalista. Em sua defesa, foi criada a campanha “Somos Todos Maju”, e até mesmo a Globo e a equipe do Jornal Nacional se solidarizaram com ela. O crime foi investigado, e os envolvidos, punidos.

Dias após o caso ganhar repercussão, Maju fez um longo discurso ao vivo no JN, durante a previsão do tempo, mostrando ter consciência sobre a questão racial e sobre seus direitos:

— Estava todo mundo preocupado. Muita gente imaginou que eu estaria chorando pelos corredores, mas na verdade é o seguinte: eu já lido com essa questão do preconceito desde que me entendo por gente. Claro que fico muito indignada, triste com isso, mas não esmoreço, não perco o ânimo, acho que isso é o mais importante. Cresci numa família muito consciente, de pais militantes, que sempre me orientaram. Eu sei dos meus direitos. Acho importante essas medidas serem tomadas, até para evitar novos ataques a mim e a outras pessoas. Fiquei muito feliz com a manifestação de carinho. Recebi milhares de e-mails, de mensagens. A militância que eu faço é com meu trabalho, é fazendo o meu trabalho sempre bem feito, sempre com muito carinho, muita dedicação, com muita competência, que eu acho que é o mais importante. E, para finalizar, Bonner e Renata, é o seguinte: os preconceituosos ladram, mas a caravana passa. É isso.

Substituindo titulares

Em 2017, Maju voltou ao Jornal Hoje não como a garota do tempo, mas como substituta eventual dos titulares Evaristo Costa e Sandra Annenberg. Foram quatro meses de teste até que se sentisse à vontade para assumir a função de plantonista. Em seguida, tornou-se uma das personalidades femininas convidadas a participar do programa Saia Justa, do GNT, em 2018.

Dois saltos significativos foram dados em 2019: o primeiro quando foi escalada, em março, para ser a substituta dos titulares no Jornal Nacional. Tornou-se a primeira mulher negra a sentar na bancada do noticiário mais importante da Globo, marco que cravou seu nome na história da TV brasileira. Sua performance à frente do programa lhe rendeu diversos elogios. O segundo saltou ocorreu três meses depois, quando foi escalada como uma das substitutas no Fantástico, cobrindo férias da titular Poliana Abritta.

Maju entrou para a história da TV brasileira ao se tornar primeira mulher negra a apresentar o “Jornal Nacional”. Foto: Reprodução, Globo

Na bancada do “Jornal Hoje”

Todas as conquistas de Maju se revelaram apenas uma preparação para que, em agosto, ela fosse anunciada como a nova titular do Jornal Hoje, apresentado nas primeiras horas da tarde. O que ocorreu foi uma dança de cadeiras nos telejornais da emissora, motivada, primeiro, pela saída de Donny de Nuccio e, depois, pela saída de Sérgio Chapelin, deslocando Sandra Annenberg para o Globo Repórter e deixando o JH com vaga aberta para apresentador.

No último dia de Sandra Annenberg à frente do telejornal, Maju desejou sucesso à colega e reconheceu a importância de seu novo desafio, que começa nesta segunda.

— É muita responsabilidade ocupar o lugar que você ocupou com tanto profissionalismo, competência, amor, a gente sabe da sua paixão, então eu fico muito feliz de ocupar esse espaço — disse Maju.

Leia mais:

Fernanda Gentil, Érico Brás e Fabiana Karla comandam programa na tarde da Globo

Selton Mello volta às novelas da Globo após 20 anos

Otaviano Costa deixa a Globo após 10 anos na emissora